A fronteira de Portugal e Espanha foi alertada para a possível entrada de dois carros com três terroristas do #Estado Islâmico na Península Ibérica. Segundo informa o jornal “Correio da Manhã”, a França informou cinco postos das autoridades portuguesas e espanholas que havia a ameaça da presença terrorista em seus territórios, que estariam armados com armas exatamente iguais às que foram usadas para matar mais de 130 pessoas nos atentados em Paris. Apesar de não ter sido confirmado, Salah Abdeslam seria um desses terroristas, o único que conseguiu participar diretamente no massacre na capital francesa e que ainda continua em fuga.

Nada ainda foi confirmado, mas existe a forte possibilidade do inimigo número 1 da França nesse momento estar na Península Ibérica, em fuga depois de ter participado nos atentados em França.

Publicidade
Publicidade

Com a ajuda de outros membros do Estado Islâmico, que possuíam duas viaturas e teriam ajudado o cidadão belga em sua fuga da França, poucos dias depois de sua identidade ter sido descoberta pela polícia francesa.

Tal como garante o jornal “Correio da Manhã”, a França descobriu um carro pertencente a possíveis terroristas que estava sendo conduzido para a Península Ibérica. Rapidamente, as autoridades de Portugal e Espanha ficaram em alerta terrorista em suas fronteiras, reforçando o dispositivo policial. Neste domingo, dia 22 de novembro, na Bélgica, em uma manobra policial que prendeu cerca de 16 terroristas, o mesmo carro já estava na Bélgica. Porém, foi confirmado que Salah Abdeslam não acompanhou os restantes membros no regresso ao país belga, seguindo sua fuga das autoridades francesas e internacionais.

Publicidade

O embaixador francês em Portugal, mesmo com esse alerta da França, garantiu, em declarações ao canal "Sic Notícias", que os portugueses não têm para já nenhum motivo para temer um possível atentado terrorista, apesar de ter confessado que, principalmente na Europa, nada é certo e que mesmo com as autoridades atentas às movimentações, há situações que não podem ser controladas. Em relação à entrada dos três jihadistas armados na Península Ibérica, apenas se sabe que nenhum dos dois carros foram detidos depois do alerta feito pela França. #Terrorismo #Europa