A brasileira Ozana era apenas mais uma mãe na multidão, até que seu filho Brian, nascido na Bélgica, decidiu se converter ao islã e ir para a Síria em 2013. A partir daí começou a carregar o fardo de ser mãe de um jihadista. Desde então conviveu com a dor de esperar más notícias envolvendo o nome do filho. Essa semana, ela e demais familiares confirmaram o recebimento de uma foto de Brian morto.

Como Brian foi para o Estado Islâmico

Segundo sua mãe, Brian era apaixonado por futebol e jogava em um time, até que foi dispensado do clube local e entrou em depressão. A fim de 'ajudá-lo' a sair da 'deprê', amigos muçulmanos o convenceram de ir até uma mesquita.

Publicidade
Publicidade

Brian se converteu e passou a ser seguidor de um dos maiores terroristas da Bélgica, Fouad Belkacem.

Em 2013 decidiu abandonar a família para lutar pelo islã na Síria e lá permaneceu desde então. Casou-se com uma mulher da cidade e teve um filho, do qual Ozana e demais familiares não conhecem pessoalmente. Ao chegar na Síria, o #Estado Islâmico mudou o nome de Brian para Abu Qassem Brazili.

A notícia

Quem contou a notícia da morte de Brian ou Abu Qassem Brazili, foi a irmã do belga, Bruna, que vive com a mãe. Ela disse que a esposa de Brian, Sara, contou feliz pelo Whatsapp que o marido havia morrido como um verdadeiro mártir.

Ozana sabe da foto e da mensagem da nora, mas como mãe, sofre por não poder enterrá-lo ou por não ter a certeza de sua morte, uma vez que não houve confirmação oficial do governo.

Publicidade

Por outro lado e com muito pesar, ela prefere que ele realmente esteja morto à descobrir que o mesmo teve participação no massacre de Paris.

Desde que se alistou ao grupo extremista e abandonou a família, Ozana convive com a incerteza sobre o fim do filho e chegou a pedir ajuda do governo belga para que resgatasse Brian. Desesperada pela escolha do filho em meio aos terroristas, ela chegou a pedir intermediação à Dilma Rousseff, mesmo seu filho não sendo brasileiro, mas não obteve êxito. Brian já estava decidido sobre seu futuro como terrorista, Ozana nada podia fazer para mudar a mente do filho e nenhum governante queria se arriscar para buscá-lo.

O perigo do aliciamento de novos combatentes pelo mundo

O aliciamento de Brian, que tornou-se mais um membro perigoso do Estado Islâmico é uma prova de que o #Terrorismo está presente em todo o mundo e que usa pessoas próximas e a internet para aliciar jovens em todo o mundo. Assim como Brian, boa parte dos terroristas do EI não são de um país árabe. Ao aceitar ir em busca de um ilusório poder e 'santidade', homens e mulheres como Brian entram em um caminho sem volta, onde terão como missão matar pessoas inocentes e o seu destino será ser morto em algum conflito ou até mesmo pelo próprio grupo. Tudo isso a fim de implantar a terrível e cruel Shari´a em todo o mundo.