Pelo menos 13 soldados iemenitas ficaram mortos depois de um ataque suicida realizado nesta sexta-feira. Foi utilizado um carro bomba para o ato terrorista.

Quando o terrorista chegou com o veículo bem próximo de um posto do exército local, acionou os explosivos matando os militares e a si próprio. Alguns militares também morreram próximos à cidade histórica de Shebam que é considerada um dos Patrimônios da Humanidade pela Unesco devido às suas lindas construções verticais.

Logo após o atentado vários conflitos tiveram início, envolvendo os soldados do governo e os extremistas. Dezenas de soldados ficaram gravemente feridos com o #Ataque.

Publicidade
Publicidade

Os terroristas aproveitaram que os soldados ficaram envolvidos com a explosão para chegarem ao local utilizando veículos 4x4 e atacar. O exército já deu início a uma operação por toda a região.

 Os ataques aconteceram na província de Hadramut, situada no sudeste do Iêmen - conforme informaram um oficial militar e uma fonte médica.

Desde abril que a Al Qaeda controla toda Al Mokala que é a capital provincial de Hadramut. O que facilitou para o grupo terrorista foi o fato da região estar um verdadeiro caos, já que o Iêmen está mergulhando em um conflito armado, com rebeldes houthis enfrentando Abdo Rabbo Mansour Hadi, presidente iemenita. Esta guerra já dura mais de um ano.

O Estado Islâmico já reivindicou a autoria do cruel ataque e informou que mais de 50 soldados morreram, o que ainda não foi confirmado oficialmente.

Publicidade

A investida dos militantes que chegaram em veículos 4x4 contava com cerca de 30 homens e todos fortemente armados.

Nas redes sociais já circulam imagens mostrando o possível ataque, onde é possível ver uma forte explosão e o som de muitos tiros, além de vozes gritando e pedindo ajuda, mas o vídeo ainda não foi confirmado como sendo realmente deste ataque.

A guerra civil no país vem se intensificando e a Arábia Saudita lidera uma campanha militar de uma coligação, porém sem grande sucesso até o momento.

No final da tarde todos os reféns foram soltos e pelo menos 27 pessoas morreram, inclusive 2 dos terroristas. #Terrorismo #Estado Islâmico