O clima de terror está instaurado nos Estados Unidos. Nessa segunda-feira (16), o grupo terrorista Estado Islâmico divulgou um novo vídeo onde anuncia ataques a todos os países que atacaram a Síria. No vídeo, um dos terroristas avisa: "Se preparem, pois vamos realizar um ataque em Washington (capital dos Estados Unidos)". O comunicado veio apenas três dias após o ataque na França.

Segundo o grupo, várias outras ações estão sendo cuidadosamente planejadas para que todos os países que participam da chamada "campanha cruzada" recebam uma resposta à altura. As ameaças foram feitas por "Al Ghareeb, O Argelino", militante do grupo extremista #Estado Islâmico.

Publicidade
Publicidade

"Assim como a França foi atingida em seu seio, Paris, nós juramos por Deus que iremos atingir a América em seu centro Washington",  afirmou Al Ghareeb.

Após o ataque a Paris, o governo francês, juntamente com os Estados Unidos, bombardearam pontos estratégicos da Síria. "Conseguimos destruir 116 caminhões-tanque usados pelo grupo Estado Islâmico no leste da Síria",  afirmou o Pentágono.

Já o Ministério da Defesa da França informou que 10 caças lançaram 20 bombas no domingo à noite na região norte da Síria, destruindo vários alojamentos dos terroristas. Porem, segundo combatentes do grupo, nenhuma vida foi dizimada, pois as bombas atingiram apenas prédios vazios. "Diferente de vocês, estamos preparados, não seremos pegos desprevenidos, não irão no atingir", vangloriou-se um homem vestido com roupas militares.

Publicidade

Após a divulgação do vídeo, o primeiro-ministro francês, Manuel Valls, confirmou que novos atentados são planejados contra a França e outros países europeus, mas pediu que o povo se mantivesse tranquilo. "Sei que estamos todos muito abalados, porém precisamos voltar a nossa rotina diária, as crianças precisam voltar para as escolas e nos precisamos voltar ao trabalho, não vamos nos intimidar, não vamos deixar que o medo nos imobilize, vamos reagir", sisse Valls.

"Porém, todos os eventos, shows e atividades festivas serão "sem dúvida cancelados". A vida deve ser retomada evidentemente, mas nós vamos viver muito tempo com esta ameaça terrorista", completou.

  #Terrorismo #Crime