Um menino de 9 anos de idade, de nome Tyshawn Lee, foi morto a tiros no bairro Gresham, em Chicago (#EUA), na última segunda-feira (2), ao ser atraído para um beco, onde foi assassinado em uma emboscada relacionada a gangues, disseram as autoridades. A polícia ainda busca informações que levem a identidade dos executores, tendo lançado um apelo a comunidade local através de uma coletiva de imprensa no bairro onde a vítima morava. 

"Tyshawn Lee foi assassinado em provavelmente o mais abominável, covarde e insondável #Crime que eu já investiguei em 35 anos de policiamento", disse o Superintendente da Polícia de Chicago Garry McCarthy, nesta quinta-feira (5). “Estamos com bastante certeza de que este não foi um acidente.

Publicidade
Publicidade

Ele não era um espectador", concluiu.

A criança foi atraída, de acordo com McCarthy, por causa de sua "relação familiar com um membro de uma gangue”Quando perguntado sobre qual membro da família, ele identificou o pai do menino. "O pai de Tyshawn tem laços com uma determinada gangue que está em conflito com outra gangue na cidade", disse McCarthy.

O pai da vítima, Pierre Stokes, não está cooperando com a polícia. Ele disse ao jornal Chicago Tribune, no início desta semana, que já desconfiava que os tiros foram efetuados de forma deliberada. "Se não fosse um alvo, ele não teria sido atingido tantas vezes nas costas e no rosto", disse Stokes. "Eu acho que ele foi alvejado", completa.

O jornal de Chicago também informou que Stokes discordou com o que a polícia disse sobre ele, mas não falou especificamente sobre se ele pertencia ou não a uma gangue. McCarthy disse a repórteres investigativos que acredita que a morte de Tyshawn foi o mais recente de uma série de eventos relacionados com gangues, que estão ocorrendo com mais força desde agosto.

Publicidade

A polícia está à procura de um grupo de pessoas, pois segundo os investigadores, este crime não pode ser atribuído a apenas uma pessoa. Nenhuma prisão ainda foi feita no caso de Tyshawn. McCarthy pediu a qualquer um que contribua com mais informações para avançar nas investigações. As autoridades estão oferecendo uma recompensa de US$ 35.000.

O Reverendo Michael Pfleger, um padre e líder religioso local, e ferrenho defensor contra a violência armada, se ofereceu para ajudar financeiramente na mudança de endereço de todas as testemunhas que se sintam em perigo para a prestação de informações. "O que aconteceu com Tyshawn Lee foi uma terrível perda", disse Pfleger. "Este não foi apenas mais um confronto de gangues com uma troca de tiros. Um bebê foi assassinado bem atrás de nós neste beco", alerta.

McCarthy concordou. "Este é um caso diferente", disse o superintendente. "Isso envolveu um inocente assassinado”, concluiu. #Investigação Criminal