Na sequência dos atentados de 13 de novembro em Paris, a polícia francesa tem realizado várias operações de busca em casas e ao abrigo do Estado de emergência imposto pelo parlamento francês. Os principais alvos destas buscas são: Abdelhamid Abaaoud, um militante islamita belga acusado de ser o 'cabeça' por trás dos ataques em Paris, e Salah Abdeslam, desaparecido desde o dia 13. Os atentados causaram a morte de 129 pessoas, e a polícia francesa realiza todos os esforços necessários para encontrar os responsáveis pelos atos de #Terrorismo.

Na manhã de quarta-feira (18), uma busca policial em uma casa nos subúrbios de Saint-Denis resultou na detenção de 7 indivíduos e na morte de 2 suspeitos, havendo ainda a confirmação de alguns policias feridos e um cão policia morto.

Publicidade
Publicidade

Essa confusão ocorreu após escutas telefônicas e operações de vigilância terem levado a polícia francesa a acreditar que Abdelhamid Abaaoud poderia estar em St. Denis, perto do estádio de futebol onde um dos atentados se realizou.

No decorrer dessa confusão, os policias foram recebidos com tiros, que foram encarados por testemunhas como um novo ataque terrorista. Segundo uma vizinha do apartamento alvo, Sabrine, "Nós conseguíamos ver as balas a voar e os laseres pelas janelas. Houve explosões. Conseguia sentir todo o edifício a balançar." Durante o tiroteio as forças policiais conseguiram prender 7 indivíduos, ainda por identificar devido à confusão causada pelos confrontos e uma mulher accionou um explosivo que causou a sua morte e um outro suspeito acabou por ser morto na troca de tiros.

Publicidade

Ainda não se sabe se Abaaoud está entre os suspeitos detidos na confusão desta manhã e Abdeslam continua em fuga, tendo recentemente aparecido nas imagens de uma câmera de vigilância de tráfego. Contudo, segundo suspeitas policiais, os indivíduos do apartamento de St. Denis, estariam preparando um ataque em La Defense, um distrito de negócios em Paris.

Enquanto as buscas policiais continuam, a França intensifica os seus bombardeios em bases ocupadas pelo #Estado Islâmico na Síria, tendo até apelado à União Europeia apoio no combate ao terrorismo na Síria.  #Europa