A Rússia, definitivamente, tomou a dianteira na ofensiva contra a organização terrorista Estado Islâmico. Em apenas alguns dias de combate aéreo, já realizou centenas de missões individuais, totalizando um número impressionante de alvos destruídos que possuíam ligação direta com o ISIS.

Utilizando caças Sukhoi Su-34 (o mesmo modelo que ilustra esta reportagem), a força aérea russa atacou, somente entre os dias 22 e 24 deste mês, 472 alvos em 141 missões distintas. Uma refinaria de petróleo e mais de 1000 caminhões-tanque, que eram controlados pelo #Estado Islâmico, foram totalmente destruídos. Entre as cidades atacadas pelos russos, estão: Aleppo, Homs, Damasco e Raqqa - cidade onde fica o principal quartel-general dos terroristas.

Publicidade
Publicidade

Envio de soldados

Em um aumento drástico de contingente, em setembro, Vladimir Putin solicitou ao exército o recrutamento de 150 mil soldados reservistas, e agora pretende enviar este grande número de combatentes para a Síria. Seu principal objetivo é a tomada da cidade de Raqqa, onde se calcula haver pelo menos 5000 membros do Estado Islâmico.

A cidade é uma região estratégica para a organização terrorista, e é defendida por eles de forma enérgica por possuir uma grande quantidade de poços de petróleo.

A detenção de petróleo das cidades tomadas constitui uma das principais fontes de renda do Estado Islâmico. Só com os poços petrolíferos controlados no Iraque, calcula-se que o EI ganhe cerca de 1 milhão de dólares por dia, vendendo o produto no mercado negro. Se forem somados todos os poços controlados, tanto no Iraque quanto na Síria, o valor ultrapassa a inacreditável cifra de 100 milhões de dólares.

Publicidade

Sendo assim, aos olhos de Putin, é vital a destruição dessa enorme fonte de renda que os terroristas controlam. O Coronel-General Andrei Kartapolov, Chefe do Estado-Maior Conjunto russo, declarou: “Nós não só continuaremos os ataques... Nós também iremos aumentar sua intensidade”.

Além de Raqqa, os ataques russos estão sendo direcionados a alvos terroristas previamente identificados, como sendo lojas de armamentos e produtos derivados de petróleo, além de postos de comando e instalações onde são produzidas bombas para os suicidas.

Assista a um vídeo divulgado pela força aérea russa mostrando ataques a refinarias de petróleo e caminhões-tanque na Síria, controlados pelo Estado Islâmico:

#Terrorismo #Ataque