Com o seu reinado de terror no Oriente Médio, sua pretensão de ter derrubado um avião de passageiros russo e, agora, as atrocidades em Paris, o ISIS causou manchetes globais como o grupo terrorista mais perigoso do mundo. Mas outra organização militante islâmica ultrapassou o ISIS para tornar-se o mais mortal grupo terrorista do mundo no ano passado, de acordo com novo relatório do Instituto de Economia e Paz (Institute for Economics and Peace).  

Boko Haram, o grupo extremista islâmico baseado principalmente nos estados do norte da Nigéria, foi responsável por 6.644 mortes em 2014, um aumento de 317% em relação ao ano anterior, de acordo com o Índice de #Terrorismo Global, lançado na terça-feira (17). O ISIS, o grupo terrorista ao qual o Boko Haram prometeu lealdade em março deste ano, foi responsável por 6.073 mortes.

Publicidade
Publicidade

Entre eles, os dois grupos foram responsáveis ​​por mais da metade (51%) das mortes atribuídas ao terrorismo, no ano mais mortal no registro para o terror, de acordo com o relatório.

Internacionalmente, as mortes por terrorismo experimentaram um "aumento dramático" em 2014, um acréscimo de 80% em relação ao ano anterior, de acordo com o estudo realizado pelo Instituto. Havia 32.658 pessoas mortas em ataques terroristas no ano passado - nove vezes mais vítimas do que havia em 2000, segundo os dados do relatório.

Boko Haram, cujo nome significa "a educação ocidental é proibida" no dialeto Hausa local, ganhou notoriedade internacional por suas incursões em escolas, em que centenas de meninas foram sequestradas. Estima-se que 276 adolescentes foram arrancadas de um internato em Chibok no estado de Borno da Nigéria em abril do ano passado, o que provocou a campanha #bringbackourgirls nas mídias sociais. O líder do grupo, Ababukar Shekau, tem uma recompensa de 7 milhões de dólares oferecida pelo governo nigeriano por sua cabeça.

Publicidade

A campanha de terror do Boko Haram, combinado com o aumento de militantes Fulani que operam na faixa central do país, levou a Nigéria a sofrer o maior aumento ano-a-ano de mortes por terrorismo já registrados, com 7.512 mortes em 2014, um aumento de mais de 300 % desde o ano anterior.

Militantes Fulani, vindos de um grupo étnico de pastores envolvidos em conflito com comunidades agrícolas, foram responsáveis ​​por 1.229 mortes no ano passado, tornando-os o mais mortal quarto grupo terrorista do mundo, de acordo com o relatório. #Estado Islâmico #Violência