Uma pessoa que estava na casa de shows Bataclan, local que ocorreu um dos atentados era a chilena Elsa Veronique Delplace San Martín, junto com seu filho de 5 anos, o mesmo milagrosamente conseguiu escapar sem ninguém perceber e ficou ileso, já a sua mãe faleceu.

O garoto, que estava acompanhado pela sua avó Paticia San Martín (61) e sua mãe, ouviu os disparos e ficou escondido e fora da zona de perigo, porém seus parentes não conseguiram fugir a tempo.

"Ele escapou, assim que começou a ouvir os tiros'', falou Patricia María Eliana San Martín (irmã de Elsa e tia do garoto), a uma rádio.

"Uma mulher que achou meu sobrinho.

Publicidade
Publicidade

Agora não tem mais a avó nem a mãe, porém está sem nenhum ferimento'', reforçou María Eliana.

As duas chilenas estão nas estatísticas dos 3, que tiveram suas vidas ceifadas por causa do ataque a casa de show. Informações fornecidas aos jornalistas através do Ministério das Relações Exteriores do Chile)

O outro cidadão chileno a perder a vida, foi Luis Felipe Zschoche Vale (35), o mesmo era músico e já morava em Paris a bastante tempo.

Os rebeldes pegaram David Fritz, que também é chileno e o fizeram como refém por muitas horas. David nasceu em Pucón, que fica localizada ao do Chile.

"Eu só não fui morto, pois os policiais chegaram a tempo'', comentou Fritz para jornalistas locais.

"Um deles perguntou o meu país e o meu trabalho. Fez isso com uma arma apontada para mim", falou o Fritz, que trabalha em um restaurante na capital francesa, como barmen. 

"Eu estava me sentindo em um filme de ação, pois tinham duas pessoas nos olhando.

Publicidade

Assim, que se passou meia hora, um deles falou que tinha que falar com uma pessoas para negociar'', lembrou o chileno que sobreviveu.

Fritz deu notícias sobre como estava, após 6 horas. Só que nesse momento o mundo todo já sabia o que havia ocorrido, pois as manchetes nos jornais internacionais eram constantes.

"Soubemos que ele foi um dos reféns, e estava na Bataclan, depois de algum tempo'', falou Ximena Geoppinger, que é mãe de Fritz, para jornalistas chilenos. #Terrorismo #Ataque #Estado Islâmico