Foi confirmada a morte do integrante do #Estado Islâmico suspeito de ser o mentor dos atentados em Paris no último dia 13. Abdelhamid Abaaoud era belga e tinha 28 anos, ele foi morto quando o apartamento em Saint Dennis foi invadido por policiais franceses, fortemente armados, que armaram um cerco e mataram o jovem terrorista.

O Estado Islâmico também confirmou a morte do terrorista em uma conta no twitter, prestando-lhe condolências, com frases como "Allah tenha piedade de você", juntamente com uma foto do integrante. 

Durante a operação da polícia, oito pessoas foram presas e duas morreram, sendo que uma delas era uma suposta prima de  Abaaoud, que explodiu o cinto de explosivos que utilizava durante a operação.

Publicidade
Publicidade

A polícia confirma que, por conta da fragmentação dos corpos, as mortes só foram confirmadas através das impressões digitais.

O suspeito estava sendo procurado depois de ter assumido autoria das séries de ataques que aconteceram em Paris, que resultou na morte de 129 pessoas, além de aproximadamente 350 feridos, nos ataques simultâneos que ocorreram na última sexta-feira.

A polícia ainda está buscando um outro suspeito, Salah Abdeslam, que pode ter ido para a Bélgica após os ataques de sexta-feira. Há rumores que o suspeito tenha acionado os explosivos localizados em suas vestes e tenha morrido na explosão que ocorreu no estádio francês.

Quem era Abdelhamid Abaaoud?

Abdelhamid Abaaoud era belga e tinha 27 anos. Tratava-se de um jovem de classe média, que estudou em um dos melhores colégios no sul de Bruxelas, onde era considerado pelos amigos como brincalhão e pacífico.

Publicidade

Ele era filho de imigrantes muçulmanos, cujo pai era dono de uma loja de roupas. Trabalhou parte de sua vida ao lado dele, segundo o pai, o menino era "um bom comerciante". 

A família não entende o porquê do jovem ter se juntado ao grupo extremista no início de 2013. Ele se tornou um dos integrantes mais ativos das redes sociais, como na publicação de um vídeo em que aparece sorridente carregando corpos de civis assassinados pelo Estado Islâmico e com a publicação de ameaçadas à França e a Bélgica. #Terrorismo #Europa