O Papa Francisco em visita ao Quênia nesta quarta-feira (25/11) disse que é preciso haver diálogo com as religiões do país e se faz necessário que os jovens aprendam que não se pode usar a violência em nome de Deus. A missão do pontífice no continente africano é de suma importância, pois ele como líder religioso deseja que não haja mais separações entre os muçulmanos e os cristãos. Ele também visitará a Uganda para levar a sua mensagem de paz, já que o país sofre ataques islamistas.

No Quênia, Papa celebrou missa a céu aberto

Foi celebrada uma missa pelo Papa Francisco para muitos fiéis e para ele há uma "radicalização religiosa" dos jovens que fazem tudo e se justificam em nome da #Religião e semeiam "discórdia e medo" nas sociedades.

Publicidade
Publicidade

Para Francisco, é preciso o diálogo com as nações e já se faz necessário, pois em pleno século XXL o homem continua utilizando as mesmas filosofias do passado para se esconder dos seus erros e não houve avanço nessa questão e continuam usando o "nome de Deus em vão".

O Papa falou a respeito dos ataques da Al Shabaab (grupo islâmico) da Somália em Westgate Narobi e na universidade de Garissa, onde ocorreu a morte de muitas pessoas.

Abdulghafur El – Busocly (presidente do Conselho supremo dos Muçulmanos no Quênia), pediu "cooperação e tolerância" e para Francisco "como pessoas de um só Deus e deste mundo temos de nos posicionar e em uníssono".

Entenda porque homens matam em nome de Deus

Na história do mundo, existem homens que matam em nome de Deus como justificativa para a maldade que cometem.

Publicidade

Eles usam a religião como "fundamentalismo religioso" e realizam atentados, matanças e #Terrorismo como ideologia religiosa.

Mas não são somente os muçulmanos que cometem essas atrocidades usando a religião como álibi. A origem desses fatos vem de longas datas, através das cruzadas, colonização, imperialismo, revoluções, reformas e inquisição.

Muitos estudos são feitos para tentar entender a causa que levam os homens a praticarem injustiças com a humanidade e muitos são os fatores: fanatismo, ideologias, mentalidades voltadas para o mal, ódio, perversidade e menos a vontade de Deus. #Viagem