12 horas depois da situação conflitante entre Rússia e Turquia, em que um caça russo foi abatido próximo à fronteira com a Síria, um dos pilotos que sobreviveu ao #Ataque, identificado como Konstantin Murahtin, foi resgatado pelas forças russas, depois de ter ficado escondido em uma floresta.

Após o caça Sukhoi SU-24 ter sido abatido pelo exército turco, seus pilotos conseguiram ejetar, mas ao descerem de paraquedas, o tenente-coronel Oleg Peshkov foi morto ainda no ar por tiros de metralhadoras disparados por rebeldes turcomanos que presenciaram os pilotos descendo. Estes rebeldes são sírios, falam turco, e apoiam o regime do presidente sírio, Bashar al-Assad.

Publicidade
Publicidade

O grupo rebelde divulgou vídeos em que mostra o tenente-coronel Peshcov sendo baleado enquanto descia, e depois já no chão, morto, enquanto os insurgentes comemoravam gritando "Allahu Akbar" (Deus é Grande, em árabe).

Retaliação e declarações do piloto russo

Nesta quarta-feira, 25 de novembro, as forças russas lançaram pelo menos 12 ataques aéreos em retaliação contra as áreas controladas pelos rebeldes, onde o avião russo foi abatido, em intensos bombardeios. O presidente russo Vladimir Putin confirmou que o capitão Konstantin Murahtin, que sobreviveu ao ataque, foi resgatado pelo exército russo, sendo levado para uma base aérea.

Putin declarou também que Peshkov receberá uma homenagem póstuma, sendo condecorado com a mais alta honraria militar russa. O piloto era casado e pai de um casal de filhos, uma jovem de 16 anos e um menino de 8.

Publicidade

Após o resgate, o capitão Murahtin negou que tivesse havido qualquer aviso por parte dos pilotos dos F16 turcos, de que seu avião estava prestes a ser abatido, apesar da divulgação de gravações feitas por militares dos Estados Unidos. Ele declarou em uma conferência à imprensa: "Não houve aviso, nem por rádio nem visualmente. Não houve nenhum contato".

Murahtin afirmou também: "Se eles (os turcos) queriam nos avisar, eles poderiam ter se mostrado (a nós), voando em um curso paralelo. Mas não havia nada. E o míssil atingiu a cauda de nosso avião, de repente. Nós não o vimos. Para ter tempo suficiente para fazer uma manobra antimíssil”.

Aqui está o vídeo completo da situação que se desenvolveu em torno do caça russo, desde seu abatimento até a morte do piloto. Contém cenas fortes.

#Terrorismo #Crise