Um grupo terrorista, fortemente armado, invadiu um hotel em Bamako, capital do Mali e mantém 170 pessoas como reféns. Mali fica a oeste da África e o hotel de alto luxo é conhecido por receber hóspedes de vários países. Entre os reféns encontram-se americanos e também franceses.

Ao invadir o hotel o grupo fortemente armado gritava "Alá é grande" e atirou nos seguranças, deixando vários feridos, inclusive dois deles estão correndo risco de vida.

A invasão aconteceu na manhã desta sexta-feira (20) e o hotel foi imediatamente cercado pela polícia local, o exército de Mali e também soldados da ONU especializados neste tipo de ação.

Publicidade
Publicidade

Depois de 5 horas de cerco ao hotel, policiais invadiram o local e pelo menos 80 reféns já foram libertados, de acordo com a TV estatal.

Até agora 3 pessoas já foram mortas, sendo um francês e dois malineses.

A invasão principal ocorreu às 10 horas pelo horário de Brasília e de acordo com o Ministério da Segurança de Mali, foi possível libertar "uma dezena" de reféns.

A agência France-Presse informou que os sequestradores são "jihadistas" e que eles libertaram todos os reféns que conseguiram citar alguns versos do Alcorão, inclusive algumas mulheres que souberam recitar os versos também foram libertadas.

A invasão ocorreu no hotel Radisson Blu e o grupo Rezidor, que administra esta rede de hotéis informou que entre os reféns estavam 140 hóspedes e 30 funcionários da empresa.

Quando o grupo invadiu o hotel, do lado de fora era possível ouvir os disparos, possivelmente vindos de armas automáticas o que mostra que os sequestradores estão muito bem armados e prontos para uma verdadeira "guerra".

Publicidade

O presidente do Mali já cancelou sua viagem para Chade e está no país tomando todas as providências para resolver o sequestro da melhor forma possível.

A ONU informou que já conseguiu resgatar do hotel 3 de seus representantes e a companhia aérea Turkish Airlines está preocupada, pois tinha 7 funcionários hospedados no hotel, sendo que 3 deles já conseguiram escapar.

"Os agressores ainda estão dentro do local. Estamos ouvindo tiros de vez em quando", informou uma testemunha do lado de fora do hotel. #Terrorismo #Ataque #Estado Islâmico