Após um incêndio numa boate em Bucareste, multidões saíram às ruas em protesto. O exemplo nefasto, representado pelo incidente, foi o catalisador para uma revolução contra a #Corrupção, resultando na demissão de altos cargos do governo, com destaque para Victor Ponta (primeiro-ministro). Segundo um manifestante: “Estamos aqui para mostrar que não queremos que as coisas continuem na mesma, com uns políticos a saírem mas depois tudo volta ao mesmo. Não queremos as mesmas mentiras. E não vamos deixar-nos enganar com uma ou duas demissões”.

Entretanto Sorin Campeanu, antigo ministro da Educação, foi nomeado primeiro-ministro.

Publicidade
Publicidade

Uma escolha resultante da expressão política obtida pelo partido de Victor Ponta (Partido Social Democrata) nas eleições de 2012 (58%), mas um cargo ilusório, com uma limitação de poderes imposta até à realização de novas eleições. Chegado ao poder, o novo líder romeno afirmou que: "A Roménia é e deve continuar a ser um factor de estabilidade”. Uma afirmação que vai ao encontro do crescimento económico registado pelo país, após a aquisição de fundos de apoio do FMI e da União Europeia, e que pode ser comprometido pela instabilidade no país.

O presidente Klaus Iohannis é encarado como o representante da luta contra a corrupção e todos os manifestantes depositam a sua confiança no presidente e na capacidade deste resolver os problemas que os afligem. Apesar do crescimento económico ser notável, o povo romeno continua a não sentir alterações no seu estilo de vida, algo que pode ser justificado pela corrupção das figuras detentoras do poder.

Publicidade

Cabe a Iohannis a tarefa de realizar as negociações necessárias para a formação de um novo governo, recebendo todos os partidos com representação parlamentar e, até mesmo, cerca de vinte representantes dos mais de 5.000 manifestantes, a fim de todas as exigências e soluções serem apresentadas e a escolha final reunir o maior consenso possível e as condições necessárias para um correcto desempenhar de funções.

O cenário de eleições antecipadas encontra-se em cima da mesa de negociações, como mais uma solução para o problema. Com a necessidade de um Orçamento de Estado para 2016, a urgência de uma decisão aumenta sobre o presidente Iohannis, que pretende encontrar uma solução rápida, mas correcta, fazendo o povo romeno regressar às suas casas satisfeito. #Manifestação #Europa