Tudo começou com um incêndio numa boate na capital da Roménia (Bucareste). A morte de 32 pessoas, em conjunto com 200 feridos, levou milhares de manifestantes para as ruas de Bucareste. Este incidente foi a gota de água que fez transbordar o copo, sendo uma representação eficaz dos inúmeros casos de #Corrupção que ocorrem na Roménia. A passagem de licenças que não cumprem os requisitos é uma prática comum e neste caso teve as consequências mais nefastas.

"A corrupção mata", pode ler-se nos cartazes utilizados pelos manifestantes. Com o apoio das redes sociais o movimento espalhou-se pelo país, forçando o primeiro-ministro, Victor Ponta, a demitir-se do seu cargo.

Publicidade
Publicidade

Este não foi o primeiro caso de corrupção em que Ponta esteve envolvido; segundo a Direcção Nacional Anti-corrupção Ponta esteve envolvido em crimes, como evasão fiscal e falsificação de documentos, praticados em 2007 e 2011.

O combate à corrupção está no centro das exigências populares; prova disso é a eleição de Klaus Iohannis para Presidente, em 2014. Durante as eleições, Iohannis tornou o combate à corrupção o baluarte da sua campanha. Após a demissão de Ponta declarou: “O executivo demitiu-se. Tarde, demasiado tarde. Foi preciso morrerem pessoas para a demissão acontecer. Ainda há muito para fazer. Não podemos acreditar que uma simples mudança de Governo resolve os problemas da Roménia, nem mesmo da classe política. É preciso mais, muito mais,”

Já Ponta negou todas as acusações de que foi alvo, atribuindo-as a uma tentativa deliberada para o difamar, declarando ainda: “Acredito que a democracia não se resolve nas ruas pela força.

Publicidade

A democracia funciona através de mecanismos inscritos na Constituição”. Mesmo assim os esforços do ex-primeiro-ministro foram em vão, na medida em que não impediram a sua demissão.

O partido de Ponta assumiu-se disposto a garantir a coligação e a realizar os esforços necessários para permanecer no poder, tendo primeiro de "ultrapassar" as conversações com o Presidente Iohannis. Contudo os manifestantes continuam nas ruas e mais manifestações estão marcadas para os próximos dia. #Manifestação #Europa