Os pelos mantém os animais, como os #Cães ou os #Gatos, quentes, mas precisam de muitos cuidados diários de manutenção. Os gatos adultos, por exemplo, passam metade do seu dia se limpando e preparando os seus pelos, um trabalho que parece interminável e que, faz parte da sua personalidade.

Agora, uma dupla de investigadores se juntou com o objetivo de entender como funciona a limpeza dos animais. O professor David Hu, do Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos Estados Unidos, em conjunto com Guillermo Amador, um brilhante estudante de engenharia mecânica, realizaram um estudo com o objetivo de compreender as técnicas de limpeza de alguns animais.

Publicidade
Publicidade

A ideia dos dois investigadores é tentar saber se esses métodos de limpeza naturais podem ser utilizados na manutenção de objetos feitos pelo homem, como, por exemplo, para manter as naves espaciais livres de detritos poluentes e sujeira. Segundo os autores do estudo: “Drones e outros equipamentos autônomos e muitas máquinas que estão ou que irão para o espaço podem fracassar por causa da acumulação de sujeira e partículas”, diz o professor David Hu.

A dupla de investigadores foi mais longe e testou os hábitos de limpeza de 27 mamíferos e de várias espécies de insetos distintas, tendo classificado as várias maneiras estranhas que os mantêm limpos. Os gatos, por exemplo, têm de limpar uma área de pelo equivalente a uma mesa de tênis de mesa, já os cães sacodem a água de suas costas como se fossem uma máquina de lavar roupa.

Publicidade

Outras espécies, por sua vez, têm a sorte de possuir técnicas de limpeza que não necessitam de grande esforço para funcionar, um dos exemplos dados pelos investigadores é o funcionamento dos cílios que protegem os mamíferos ao canalizarem as partículas de sujeira para fora dos olhos. “Entender como sistemas biológicos evitam a sujeira e mantêm o corpo limpo pode ajudar a inspirar soluções de baixo consumo de energia para manter os equipamentos tecnológicos livres de poeiras e sujeira”, afirma Hu.

Quem parece ter ficado interessada nesse estudo foi a NASA, que está sempre atenta a essas novidades científicas. Resta agora saber se no futuro vão existir naves inspiradas nos gatos, cães ou nos insetos que nos rodeiam.

O que acha desse estudo? Acha possível adaptar esses hábitos dos animais às novas tecnologias? #Inovação