Uma investigação comandada pela Thompson Reuters Foundation, acusa as tropas da força de manutenção de paz da ONU (Organização das Nações Unidas), que atuam na República Centro-Africana, de abuso sexual.

Três adolescentes, que foram obrigadas a sair de suas casas por causa de confrontos, revelaram à fundação que mantiveram relações sexuais com soldados congoleses por várias semanas, o que resultou em pelo menos duas gestações. As garotas, que tem entre 14 e 17 anos, vivem em um abrigo temporário, localizado nas proximidades de uma base comunitária da ONU, com cerca de de 500 soldados provenientes da República Democrática do Congo, Camarões e Bangladesh. 

A idade mínima estabelecida para o sexo ser considerado consensual na República Centro-Africana é de 18 anos.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o protocolo da organização internacional, relações sexuais entre soldados e cidadãos refugiados são proibidas. Estas acusações de abuso são apenas algumas de uma série já registrada contra a Minusca, uma tropa com cerca de 11 mil soldados.

Esta força de paz, que faz menção à proteção de mulheres e crianças, está envolvida em uma série de escândalos de abuso sexual. No início do ano, o atual secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, garantiu que iria reprimir tais práticas.

Entre meninas que sofreram abusos, uma de 14 anos falou com a Thompson Reuters Foundation, e revelou ter um filho concebido através dos abusos. Outra de 17 anos, afirmou que os soldados agiam dessa forma com bastante frequência: "Eles me ofereciam dinheiro", diz ela, que atualmente vive em um abrigo. 

De acordo com o informe interno da auditoria da ONU, a cada 4 dias, um soldado das forças de paz é denunciado por crimes sexuais.

Publicidade

Em 2013, mais de 90 casos deste tipo foram registrados. Em 2014, houve 79 casos, uma leve redução, mas que ainda é absurda para tropas que deveriam estar prestando solidariedade. Em abril deste ano, soldados franceses que atuavam em Bangui, capital da República Centro-Africana, também foram acusados de abusar sexualmente de menores.

Mesmo diante de tantos casos graves como estes, não há informações sobre quantos soldados foram presos por esses atos criminosos. Uma das poucas punições aplicadas nestes casos é a suspensão das atividades. Não há nenhum tipo de transparência por parte da ONU em relação a crimes cometidos por membros da Organização.  #Crime #Investigação Criminal #Casos de polícia