O grupo “Anonymous” atacou pela primeira vez o #Estado Islâmico e os resultados já são bem visíveis. Segundo informa o site “Notícias ao Minuto”, os vários hackers espalhados pelo mundo que fazem parte desse grupo misterioso, conseguiram cancelar mais de cinco mil contas nas redes sociais de alegados soldados do Estado Islâmico. Isso significa que seu processo de recrutamento fica muito mais débil para o exterior, além de que suas comunicações ficam claramente prejudicadas. Em apenas 24 horas, é possível que esse “simples” ataque cibernético pode ter sido mais eficaz na eliminação do grupo terrorista do que qualquer bomba.

Um dia depois dos atentados em Paris, o famoso grupo “Anonymous” fez uma promessa: “terminar de uma vez por todas com o Estado Islâmico”.

Publicidade
Publicidade

Para isso, fazendo uso dos maiores gênios de informática do mundo, essa organização, que não tem sede, quer eliminar qualquer tipo de contato que o maior grupo terrorista do mundo tenha via internet, um instrumento que até agora era muito usado por seus miliares, principalmente para recrutar milhares de jovens por ano.

Em apenas 24 horas, os resultados estão à vista de todo o mundo e, sem usar qualquer tipo de violência, o Estado Islâmico está muito mais fraco com esse primeiro ataque dos “Anonymous”. Ao todo foram mais de 5 mil contas que foram encerradas nas redes sociais e que pertenciam a vários terroristas, que preferiram recuar com suas estratégias pois o risco de verem suas identidades tornadas públicas era enorme.

Ao contrário do que estava verificando com os bombardeios da França, Rússia e Estados Unidos, o grupo “Anonymous”, sem grande dificuldade, conseguiu que o Estado Islâmico ficasse visivelmente mais fraco, obrigando eles a abandonar suas estratégias, deixando de parte a Internet, o meio principal que, até agora, fez com que o maior grupo terrorista no mundo conseguisse recrutar e treinar milhares de soldados, muitos deles europeus, ao longo dos últimos quatro anos.

Publicidade

Parece assim que a solução para eliminar o Estado Islâmico é, de uma forma um pouco paradoxal, de forma não violenta. #Terrorismo #Europa