O mundo ficou paralisado no início da noite desta sexta-feira, 13. Isso porque ataques terroristas orquestrados atingiram pelo menos três pontos importantes da capital da França, Paris. De acordo com informações de agências internacionais, homens fortemente armados começaram a atirar em quem viam pela frente. A polícia francesa confirma, até o fechamento desta matéria, que ocorreu por volta das 20h15, pelo menos 20 pessoas mortas. Explosões também aconteceram próximo ao Stade de France, um famoso estádio local. No estádio acontecia um amistoso da seleção francesa contra a da Alemanha. 

Já em outra região de Páris, um homem com uma espécie de metralhadora automática invadiu um restaurante e matou várias pessoas.

Publicidade
Publicidade

Segundo informações de um site de notícias francês, só nesse local, quatro corpos podiam ser vistos. Já em outro restaurante, o Cambodge, eram pelo menos dez pessoas mortas, segundo fontes ouvidas pela BBC Brasil. 

O primeiro tiroteio aconteceu em um dos pontos mais famosos de Paris, a Praça da República. Nesse local, homens armados atiravam enquanto pessoas tentavam fugir desesperadas. Já o segundo ataque aconteceu no Boulevard Voltaire. Testemunhas que estavam em um bar disseram que dois homens entraram no estabelecimento e abriram fogo. Nesse bar, eram pelo menos cinco o número de criminosos. 

Em uma região próxima onde se localizava o jornal francês 'Charlie Hedbo', também ocorreu um outro ataque. No Le Bataclan Concert Hall, pelo menos onze pessoas estão sendo feitas reféns. As informações do número de pessoas sob a mira dos terroristas foi dada às 20h pela Globo News, canal a cabo da Globo. 

O presidente da França, François Hollande, estava acompanhando o jogo entre a França e a Alemanha.

Publicidade

No entanto, três explosões também teriam ocorrido dentro do estádio onde aconteceu a partida. De acordo com o jornal O Globo, a polícia francesa confirmou as explosões e disse que o presidente foi retirado do estádio às pressas. 80 mil pessoas estão no local vendo a partida. Apesar da retirada do líder político e das explosões, o jogo ainda continua a acontecer até o fechamento desta reportagem. #Terrorismo #Crime