Astrônomos do radiotelescópio Parkes, localizado em New South Wales, Austrália, estão ao mesmo tempo confusos e empolgados, pois detectaram uma série de cinco sinais de rádio misteriosos vindos do espaço. Ainda não fazem ideia do que os causou, e estão levando a sério a hipótese de que se trate de alguma tentativa de comunicação por parte de uma inteligência extraterrestre.

Batizados de Explosões Rápidas de Rádio (ERR), ou Fast Radio Bursts (FRB), em inglês, estes sinais de rádio se constituem, como o próprio nome diz, de explosões de energia no comprimento de ondas de rádio, que duram poucos milissegundos e se propagam pelo universo.

Publicidade
Publicidade

Este tipo de explosão é raro e já foi detectado antes, mas geralmente, quando ocorre, trata-se somente de uma única explosão, que poderia estar associada a uma colisão ou fusão entre estrelas de nêutrons, por exemplo.

Sinais misteriosos

Os dois últimos sinais detectados são os mais misteriosos, pois ocorreram com um intervalo de tempo de apenas 2,4 milissegundos, oriundos do mesmo ponto no espaço. Por se tratar de uma explosão dupla, ou como os cientistas chamam, de dois componentes, já é possível, para eles, descartar fontes naturais conhecidas. O time que fez a descoberta publicou a seguinte nota:

"Muitos dos modelos propostos para explicar as ERR usam um único evento de alta energia envolvendo objetos compactos (como fusões estrela de nêutrons) e, portanto, não podem facilmente explicar uma ERR de dois componentes."

Emily Petroff, cientista da Universidade de Swinburne, em Melbourne, e que faz parte da equipe que descobriu os sinais, acredita que a sua origem possa ser algo mais impressionante do qualquer coisa já registrada neste sentido antes.

Publicidade

Em seu Twitter, ela publicou:

Nós não fazemos ideia do que está acontecendo, mas nós sabemos que é definitivamente algo legal.

A descoberta destes sinais está sendo comparada em importância ao conhecido "sinal Wow". Este sinal foi uma forte onda de rádio detectada em 15 de agosto de 1977, pelo radiotelescópio Big Ear, da Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos, proveniente da constelação de Sagitário e que durou 72 segundos. Jerry E. Ehman, astrônomo que examinou os dados do radiotelescópio, constatou que o sinal era tão forte e que apresentava todas as características esperadas se fosse produzido por uma civilização extraterrestre, que ficou extremamente impressionado, escrevendo “wow” (uau) na folha impressa que revelava a descoberta.

Até hoje, este sinal continua sem explicação e só não foi atribuído sem sombra de dúvida a uma fonte extraterrestre inteligente porque nunca se repetiu, e esse é um dos parâmetros usados pelos cientistas para atribuição de um sinal a uma fonte inteligente: a repetição, o que demonstraria que algo, ou alguém, está tentando se comunicar, enviando um mesmo sinal em intervalos de tempo diferentes.

Publicidade

Agora, o que se tem a fazer é esperar e obter mais dados, para a ciência tentar responder, de uma vez por todas, se a humanidade está sozinha ou não no Universo. #Natureza #Curiosidades