Uma polêmica iniciativa de professores alemães tem ganhado a mídia na última semana. Josef Kraus, presidente da associação de professores na Alemanha, defende a intenção de colocar o livro Mein Kampf ("Minha Luta") para ser estudado em sala de aula. A publicação é de autoria de Adolf Hitler, e não era editado desde o final da Segunda Guerra Mundial, com os direitos estando em posse do estado da Baviera. Porém, desde 2015, o livro é considerado domínio público, permitindo que qualquer editora possa republicá-lo novamente.

O livro reunia uma série de pensamentos e ideologias que ex-ditador nazista defendera em seus tempos de comando na Alemanha, funcionando como uma ferramenta influente para atrair mais seguidores de sua causa extremista.

Publicidade
Publicidade

Contudo, Kraus defende que uma edição comentada do livro, ensinada dentro de um ambiente bem instruído por professores mais experientes, pode criar a consciência nos jovens alemães, acima de 16 anos, contra o extremismo político.

Kraus ainda argumenta que, pelo estado de domínio público em que a obra se encontra, qualquer pessoa com acesso a internet poderia acessá-lo e ter conhecimento de seu conteúdo. E com o direcionamento adequado, os efeitos poderiam ser muito diferentes dos ideais distorcidos de Hitler.

Governo Alemão é contra a iniciativa

Embora uma nova edição comentada do Mein Kampf esteja prometida para primeira quinzena de Janeiro na Alemanha, o governo local pretende ser incisivo quanto a iniciativa liderada por Josef Kraus. Punições e multas estão previstas para qualquer instituição escolar que coloque o livro de Adolf Hitler como material didático.

Publicidade

Nem mesmo as comunidades de outras culturas apoiam a ideia. Charlotte Knobloch, líder da comunidade judaica na Alemanha, considera a iniciativa irresponsável, uma vez que ideais antissemitas seriam apresentados em sala de aula, sem uma análise efetiva de seus resultados.

Fazer uso de ferramentas extremistas para #Educação já foram vistas obras ficcionais. O exemplo mais conhecido é o filme "A Onda", em que um professor, após ser questionado sobre a razão de uma população inteira ter apoiado o regime nazista de Hitler, cria uma verdadeira seita dentro da sala de aula.

Qual a sua opinião? Acha que expôr o livro na sala de aula é a melhor de combater as ideias nazistas? Ou acha que o governo alemão deve optar pela censura oficial? Deixe em baixo o seu comentário. #Escola