Em matéria recentemente divulgada, a Blasting News Brasil informou que a organização terrorista #Estado Islâmico está ameaçando assassinar o Papa Francisco, e também tomar o Vaticano e Roma, o que, na visão dos jihadistas, provocaria o Apocalipse bíblico, o consequente fim do mundo e sua “vitória final”.

Mesmo com estas sérias ameaças, o Santo Padre ignorou os apelos recentes feitos pela polícia italiana para que, em suas aparições em público, ao menos use algum tipo de equipamento de proteção, como por exemplo, um colete à prova de balas.

O padre Ciro Benedettini, que é um porta-voz oficial do Vaticano, alegou em entrevista ao site Express, do Reino Unido, que o líder dos católicos de todo o muito está completamente ciente das ameaças que o Estado Islâmico tem feito a ele, mas que mesmo assim não está com medo.

Publicidade
Publicidade

"Ele não tem medo, sabe tudo (a respeito das ameaças), mas ele não quer perder o contato com o povo", disse o padre Benedettini.

A proximidade com os fiéis da Igreja Católica é uma das características mais marcantes do Papa Francisco. Em recente visita à África, o Sumo Pontífice foi alertado de que em certos lugares por onde passaria poderia haver certo risco à sua segurança se mantivesse sua proximidade com as pessoas. Mesmo assim, o Papa visitou todos os lugares que estavam na agenda, e de fato não houve qualquer perigo em potencial.

Preocupações e melhorias na segurança

O Papa está, inclusive, se recusando a atender aos pedidos de que devam ser feitas alterações no papamóvel, de forma a se tornar mais seguro para o pronunciamento que o Sumo Pontífice realiza todo ano no Natal, durante a famosa "Missa do Galo", que se inicia em torno da meia noite do dia 24 de dezembro.

Publicidade

O padre Benedettini acredita que, para a missa em questão, não serão adotadas medidas de segurança adicionais, além daquelas que já estão sendo tomadas. Acrescentou ainda que é compreensível que a polícia queira que o Papa use um colete durante a missa, mas que seria muito estranho o Santo Padre presidir a celebração usando o equipamento.

Mesmo com a recusa do Papa de usar itens de segurança, estão sendo feitas melhorias no patrulhamento policial com o intuito de inibir qualquer possível atentado ou ameaça terrorista, tanto dentro do Vaticano como em seus arredores, em Roma. O número de policiais nas ruas aumentou drasticamente, e é possível ver os oficiais armados em numerosos locais. Assista a um vídeo, mostrando o reforço da segurança em Roma:

#Terrorismo #Europa