O grupo #Anonymous está planejando usar uma tática nova em forma de protesto prevista para dezembro. Membros proeminentes do grupo de hackers mascarados têm chamado os apoiantes para começar a publicar imagens chocantes de combatentes do #Estado Islâmico mortos em uma tentativa de extremistas "simulados".

Em um documento circulando em um site de comunicações Anonymous, os hackers pediram um "dia de fúria" contra o ISIS em 11 de dezembro. O Anonymous se reunirá nas principais cidades, incluindo Londres, Paris e Nova York em 11 de dezembro para protestar contra o ISIS.

Apoiantes anônimos também foram instigados a identificar extremistas de mídia social e, em seguida, enviá-los "fotos de cabras com legendas falando sobre suas esposas".

Publicidade
Publicidade

"Nós vamos zombar deles para os idiotas que são", escreveu um torcedor do Anonymous. "Para compreender que você deve primeiro ver como funciona o Isis", afirmou.

"Vamos mostrar a eles que não temos medo, não vamos apenas esconder em nosso medo, nós somos a maioria e com a nossa força nos números, podemos fazer uma diferença real", finalizou.

Anonymous é um grupo de hackers "mascarados" que declarou Guerra Cibernética ao ISIS logo após o atentado em Paris no dia 13 de novembro, a partir daí o grupo convocou hackers de todo mundo para a “Operação Paris”, destinada a derrubar sites do Estado Islâmico. Em seu primeiro #Ataque, derrubou mais de cinco mil contas associadas ao grupo extremista no Twitter. Eles também divulgaram tutoriais sobre como derrubar sites e identificar esses perfis. Além disso, foi invadido por hackers um site de propaganda do IE na DeepWeb  - parte da internet que não pode ser localizada por motores de busca como o Google e Bing.

Publicidade

Este ataque foi realizado pelo Ghost Security Group (Grupo de Hackes associado ao Anonymous) onde no lugar da página, os ativistas incluíram um anúncio interativo de medicamentos, tais como o estimulante sexual Viagra. A página pode ser acessada por meio de navegadores específicos para a navegação na deep web, como o Tor. A mensagem deixada pelos ativistas diz: "Aqui tem muito ISIS" e "Fique calmo. Muita gente está interessada nessas coisas de Estado Islâmico".