No último fim de semana, realizou-se em Bagdá o concurso para eleger a Miss Iraque. Um evento ganho por Shaima Qasim, uma jovem iraquiana que, além de ter enfrentado as outras concorrentes, teve ainda que enfrentar muitas ameaças de morte feitas por extremistas que se opunham à realização do certame.

No início dessa semana, muito se falou em todo o mundo sobre o erro de Steve Harvey no concurso da Miss Universo 2015, mas do outro lado do mundo, se estava realizando, quase ao mesmo tempo, um outro evento tão ou mais importante, a eleição da Miss Iraque.

A eleição da Miss Iraque de 2015 vai ficar marcada para sempre na história daquele país.

Publicidade
Publicidade

Foi a primeira vez em 43 anos que se realizou um concurso de #Beleza naquele Estado do Golfo Pérsico, um Estado marcado, primeiro pela ditadura sangrenta de Saddam Hussein e, mais recentemente por uma #Guerra Civil que durou entre 2003 e 2011.

Com as feridas da guerra sarando, começa acontecendo, cada vez mais, uma aproximação entre o Iraque e o Ocidente. Por isso não foi uma surpresa, que 43 anos depois, se tenha voltado a organizar um concurso de beleza para eleger a mulher mais bonita do país.

Concorrentes ameaçadas de morte

Quando a organização abriu o seu site oficial e a sua página no Facebook, eles foram imediatamente inundados com protestos e com muitas ameaças de morte contra as participantes. O medo se instalou e o pânico entre as candidatas foi tão grande que, de entre quase 200 participantes inscritas, permaneceram apenas 10.

Publicidade

A final do concurso aconteceu nesse último domingo (20) e a vencedora foi Shaima Qasim, uma jovem de 20 anos, estudante de economia na Universidade de Kirkuk. Shaima recebeu a sua coroa e também um forte aplauso de todos. No fim a opinião era unânime, o que aquelas jovens fizeram naquela noite foi uma demonstração de coragem e algo que não ficará esquecido na luta pelos direitos das mulheres iraquianas. Uma opinião que o diretor do certame, Ahmed Leith partilhou com a CNN.

Shaima Qasim será então, nesse ano de 2015, uma embaixadora da beleza iraquiana, mas também dos direitos das mulheres daquele país. A jovem vai participar em vários eventos em todo o mundo e certamente vai mostrar que as mulheres iraquianas, além de bonitas, podem ser também muito corajosas.

Acha que a eleição da Miss Iraque vai contribuir para os direitos das mulheres iraquianas? Deixe a sua opinião nos comentários! #Estado Islâmico