Em um boletim de notícias deste sábado, 5 de dezembro, a estação de rádio al-Bayan, localizada no Iraque e controlada pelo #Estado Islâmico, anunciou que o casal muçulmano Syed Rizwan Farook, de 28 anos, e Tashfeen Malik, de 27, responsáveis pelo tiroteio em San Bernardino, na Califórnia, e mortos pela polícia, eram de fato combatentes que faziam parte da organização terrorista.

Os jihadistas alegaram na transmissão: “Dois seguidores do Estado Islâmico atacaram alguns dias atrás um centro em San Bernardino, na Califórnia”, e disseram também que o #Ataque foi executado por dois “apoiadores”, que foram classificados por eles como “mártires”.

Publicidade
Publicidade

O ataque, realizado na quarta-feira, 2 de dezembro, resultou em 14 pessoas mortas e mais 17 feridas.

O casal terrorista

Agora começam a emergir mais informações sobre os atiradores na imprensa. Alguns membros da família de Farook disseram, por meio de seus advogados, Mohammad Abuershaid e Daniel Chesley, que nunca sequer tinham visto o rosto de Tashfeen Malik, uma vez que ela estava sempre usando uma burca, e não falava com os parentes do sexo masculino de seu marido.

Os advogados disseram também, em um pronunciamento nesta sexta-feira, 4 de dezembro, que o casal se conheceu através de um site de relacionamentos, namorando por algum tempo durante o ano de 2013 e se casando no ano passado, em agosto, na Califórnia.

Mohammad Abuershaid afirmou que os membros da família Farook viam Malik como uma dona de casa muito tradicional, no que dizia respeito à cultura muçulmana, por isso o fato de nunca ter conversado com os parentes homens de seu marido.

Publicidade

Acrescentou ainda que ela falava inglês muito precariamente e pouco se sabe sobre a família dela, que, suspeita-se, será da Arábia Saudita. Uma das poucas coisas conhecidas a seu respeito é que ela havia estudado no Paquistão para ser farmacêutica.

Amigos de Farook disseram que ele era conhecido por seu sorriso rápido e por gostar de conversar sobre restauração de carros. Nasser Shehata, que conversava regularmente com Farook, descreveu-o como uma pessoa muito tímida. Acrescentou ainda que, até há 6 meses, o amigo estava muito feliz quando sua filha nasceu, e que não saberia dizer o que mudou desde então, para que o ataque ocorresse.

Venda de armas

Em seu pronunciamento semanal, neste sábado, o presidente Barack Obama alertou mais uma vez para necessidade de mudança na lei sobre armamentos nos Estados Unidos, uma vez que as armas usadas no massacre foram compradas legalmente. "Sabemos que, nas mortes em San Bernardino foram usadas armas de assalto de estilo militar - armas de guerra - para matar tantas pessoas quanto pudessem. É mais um trágico lembrete de que aqui na América é muito fácil para as pessoas perigosas colocarem as mãos em uma arma."

Farook e Malik estavam transportando quatro armas quando foram mortos pela polícia de San Bernardino: 2 rifles AR-15 e 2 pistolas semiautomáticas, além de 12 bombas e aproximadamente 4.500 cartuchos de munição. #EUA