Em 4 vídeos recentemente divulgados, a organização terrorista Estado Islâmico, mais uma vez, demonstra não ter limites para seus atos, fazendo questão de mostrar isso ao mundo. Nas filmagens, são vistos mais de 20 prisioneiros dos jihadistas sendo assassinados através de diferentes métodos, entre os quais, lançadores de foguetes, morteiros, explosões e decapitações.

Os vídeos foram feitos no Iêmen, que passa por uma terrível #Guerra Civil atualmente. Acredita-se que os prisioneiros eram do Houthi, um grupo político armado dissidente do xiismo, que é o segundo maior ramo de seguidores do islamismo, atrás apenas dos sunitas.

Publicidade
Publicidade

Os vídeos divulgados

Aproveitando-se do caos gerado pela guerra civil no Iêmen, o Estado Islâmico conseguiu se infiltrar no país. As filmagens mostram cenários diferentes, mas todos elas apresentam os mesmos requintes de crueldade e morbidez.

Em um dos vídeos, são vistos 4 prisioneiros trajando uniformes laranjas (a marca registrada do #Estado Islâmico para executar seus cativos), com uma espécie de colar improvisado ao redor de seus pescoços, cada um com uma ogiva de morteiro. Estes prisioneiros estavam lutando tanto contra o governo do Iêmen, como contra as ações da al-Qaeda, na Península Arábica. Em seguida, os colares explosivos são detonados, matando os homens instantaneamente, e seus corpos carbonizados são mostrados.

Em outra filmagem, são vistos 6 homens sentados em uma colina rochosa com uma granada entre eles, quando um lançador de foguetes controlado remotamente dispara e os atinge.

Publicidade

No terceiro vídeo, é possível ver outros 6 homens algemados, sendo colocados em um pequeno barco carregado de explosivos, que é empurrado para o mar. Mais uma vez, remotamente, ocorre uma detonação, seguida de uma enorme explosão, matando todos os seus ocupantes.

Na gravação restante, é apresentada a decapitação de mais 9 prisioneiros que estavam com as mãos amarradas às costas, sendo executados por combatentes terroristas encapuzados, em uma espécie de posto abandonado.

Foi divulgado pelo Daily Mirror, no YouTube, um vídeo mostrando os prisioneiros destas filmagens, momentos antes de serem executados. Este vídeo não mostra as execuções, mas mesmo assim, contém cenas fortes.

#Terrorismo