As maldades do grupo terrorista #Estado Islâmico ganharam mais um capítulo de dor e medo. Se trata de um menino no início da adolescência que teve as mulheres da família estupradas, o pai e o irmão mortos e ele próprio foi obrigado a se tornar um assassino do Estado Islâmico.

Membros do EI gravaram um vídeo em que mostram o menino e afirmam que o sequestraram quando dominaram a cidade de Sinjar. Os terroristas afirmam no vídeo que estupraram a mãe e as irmãs do garoto, que mataram seu pai e irmão e estão treinando-o para que se torne uma máquina de matar dos extremistas. O grupo fala com orgulho que transformam 'uma criança inocente em uma terrível máquina de matar'. O Estado Islâmico gravou um comercial do grupo em que mostra o menino executando uma pessoa na Síria.

Publicidade
Publicidade

Os curdos já conseguiram recuperar o domínio de Sinjar com a ajuda da base de coalizão liderada pelos EUA, mas a cidade que um dia teve cerca de duzentos mil habitantes está quase deserta. Cerca de cinco mil pessoas foram sequestradas, dezenas ou talvez centenas foram mortas e outras fugiram para cidades vizinhas ou outros países.

A vida de um Mawula

O garoto sequestrado que não teve seu nome revelado, é chamado pelo grupo de Mawula, que significa 'pessoas não-muçulmanas que tornam-se servas do Estado Islâmico'. Os Mawula são torturados e oprimidos pelo grupo a fim de que realizem seus caprichos. O EI já sequestrou diversas crianças na Síria e Iraque e reforçam essa lembrança em vídeo. Sempre que vão executar ou mutilar um infiel em praça pública, é notório que surgem crianças nas proximidades para assistir.

Publicidade

Nos últimos dias, um garoto de catorze anos que teve a mão e o pé arrancados com uma faca de açougueiro por se recusar a fazer parte do grupo, disse que o EI reuniu um grande grupo de crianças para vê-lo ser mutilado em público por um carrasco de 127 quilos que tem aterrorizado pessoas no Iraque. Recentemente também foi divulgado um vídeo feito pelos grupo mostrando os terroristas executando cerca de 200 crianças na Síria. Não se sabe se houve um motivo especial para as cruéis execuções das crianças ou se era apenas o requinte 'básico' do dia a dia de atrocidades do grupo. #Terrorismo #Violência