Um novo capítulo da história de terror protagonizada pelo Estado Islâmico foi revelada: os terroristas planejam um novo #Ataque terrorista com proporções superiores ao do '11 de setembro', quando aviões foram sequestrados por homens bomba que os lançaram contra as torres gêmeas, matando mais de três mil pessoas.

O combatente do ISIS, Mahmut Gazi Tatar, é um homem de origem curda que juntou-se ao #Estado Islâmico há pouco tempo. Mesmo sem anos de experiência no grupo terrorista, Mahmut foi capturado por forças curdas e revelou ter conhecimento de diversos detalhes sobre a vida dos combatentes, bem como os seus planos para o futuro.

Publicidade
Publicidade

Dentre as revelações, está o planejamento de um novo ataque terrorista, do qual o país alvo não foi divulgado, mas o estrago será superior ao 11 de setembro de 2001. Desde os ataques de Paris, em novembro, diversos alertas de possíveis novos ataques foram emitidos. Em Bruxelas, as festividades de ano novo foram canceladas devido ameaças de terroristas. Na Indonésia combatentes do EI foram presos com explosivos que seriam usados na virada do ano. Toda a Europa está em alerta e teme ataques no ano novo, bem como no decorrer de 2016.

Tatar também revelou que o Estado Islâmico visa tornar todos os países do mundo um só califado seguidor da shari´a. Também divulgou que mais de mil combatentes são turcos e que o grupo terrorista vende petróleo para consumo na Turquia. As revelações surgem na mesma época em que o diretor de um jornal turco é preso por ter divulgado um vídeo que comprovava que o governo da Turquia vende armas para os jihadistas.

Publicidade

O presidente Recep Tayyip Erdogan foi quem pediu a prisão de Can, declarando publicamente que o diretor do Cumhuriyet pagaria pelo que fez. A atitude do presidente gerou uma série de protestos de profissionais da mídia turca que acusam Erdogan de criar censura nos meios de comunicação da Turquia.

Atualmente diversos países lutam contra o Estado Islâmico, mas nem por isso há unidade entre os envolvidos. A coalizão dos Estados Unidos tem desagradado a coalizão da Rússia, colocando o mundo em alerta de uma possível nova guerra fria.

Quanto a Tatar, seu destino é bem desagradável: Se for devolvido para os terroristas, será morto por traição, uma vez que revelou informações 'confidenciais' e se ficar na Turquia, será preso por fazer parte do grupo terrorista. #Terrorismo