A organização terrorista Estado Islâmico pretende realizar sua “batalha final”, nos moldes do Apocalipse, em 2016. Para tanto, pretende aumentar – e muito – os seus ataques, em diversos países no mundo todo. O alerta para tais atos de violência foi dado pelo Dr. Theodore Karasik, analista com doutorado em geopolítica e especializado em assuntos relacionados ao Oriente Médio, que estudou extensivamente o comportamento do #Estado Islâmico.

Desde que declarou seu califado (uma forma monárquica de governo), a organização terrorista já realizou mais de 50 ataques em 18 países, que resultaram em cerca de 1.100 pessoas mortas e aproximadamente 1.700 feridas.

Publicidade
Publicidade

Ações terroristas

Segundo o Dr. Karasik, o Estado Islâmico pretende assassinar milhares de civis em 2016, realizando atentados em locais públicos ao redor do mundo, em uma tentativa de promover a “batalha final” contra os países que os terroristas consideram serem seus inimigos. Para tanto, em um aumento de atividade sem precedentes, os jihadistas pretendem ativar células de combate em dezenas de países, com o intuito de desestabilizar governos, principalmente os ocidentais.

Na visão do especialista, esta operação de ampliação das ações dos terroristas tem por finalidade mostrar o alcance global do grupo, tanto através de seus exércitos, como também das ações de “lobos solitários” e de pequenas células de combate, para atingirem tantas pessoas quanto puderem. O Rio de Janeiro, inclusive, pode estar na mira dos terroristas, por causa das Olimpíadas, a serem realizadas entre os dias 5 e 21 de agosto.

Publicidade

Relatórios em posse da ABIN (Agência Brasileira de Inteligência) já alertam que existe, de fato, um "fator de risco" que não deve ser ignorado, relacionado a possíveis atentados.

"O nível de destrutividade do Estado Islâmico, para forçar confrontos em todo o mundo, indica que 2016 provavelmente será mais caótico do que 2015. A ameaça é real, e o requisito para a cooperação internacional, regional e local é realmente necessário, e será testado, talvez repetidamente, em lugares inesperados”, declarou o Dr. Karasik.

Declarações

No início desta semana, o líder da organização terrorista, Abu Bakr al-Baghdadi, divulgou uma mensagem de áudio, alegando que suas forças de combate estavam "indo bem", e dizendo para os seus seguidores terem a confiança de que Alá os concederá a vitória final.

Na mensagem, o líder terrorista também falou sobre a coalizão da Arábia formada recentemente, que reuniu 34 nações muçulmanas contra o Estado Islâmico. Al-Baghdadi pediu a queda do governo saudita e disse que em breve se voltará para Israel, afirmando que os judeus jamais encontrarão descanso na Palestina, e que a região, ao invés de sua casa, será seu cemitério. #Terrorismo #Ataque