O Alto Comissariado das Nações Unidas para #Refugiados (ACNUR) anunciou que o número de refugiados e migrantes que chegarão ao continente europeu até ao final de dezembro atingirá um milhão, no total. Tudo devido às guerras que se fazem sentir no Oriente Médio, em especial na Síria.

Segundo a Organização das Nações Unidas, os refugiados passam bastantes dificuldades para conseguirem atravessar o Mar Mediterrâneo. Muitos dos refugiados vêm do Médio Oriente, mas também do continente africano. De acordo com os dados recolhidos, estima-se que os conflitos que se têm verificado na Síria são para continuar nestes próximos anos.

Publicidade
Publicidade

Muitos são os refugiados que não conseguem passar todos os obstáculos de atravessar o Mar Mediterrâneo e acabam por morrer antes de chegaram a terra. A Organização Internacional para Migrações (OIM) divulgou que o número de mortes nesta passagem dos refugiados passa da barreira das 3 mil pessoas. É um risco muito grande que estas pessoas passam para conseguirem encontrar uma vida melhor para os seus filhos e para toda a sua família longe dos conflitos e guerras que se têm verificado na Síria nestes últimos tempos.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados já divulgou também que o número total de refugiados em junho deste ano passou dos vinte milhões. É a primeira vez que se verifica um número tão grande de refugiados (20.2 milhões), desde 1992. São cada vez mais os pedidos de ajuda por parte destas pessoas.

Publicidade

Os pedidos de asilo aumentaram cerca de 78% para mais de novecentos e noventa e três mil comparando com o ano passado. De acordo com os dados verificados nos relatórios da ONU, mais de sessenta milhões de pessoas foram obrigadas a largar as suas vidas deixando as suas casas e trabalhos para fugirem aos conflitos e guerras e procurarem uma vida melhor. Desta forma, uma em cada cento e vinte e duas pessoas no mundo foi obrigada a abandonar a sua casa para fugir destes mesmos conflitos.

A Turquia é o país que mais tem acolhido refugiados, dada a sua extensa fronteira com a Síria e o Iraque. Este país acolheu mais de 1.8 milhões de pessoas até ao final do mês de junho. O Líbano, também vizinho da Síria, tem vindo a receber muitos refugiados este ano.