Uma professora tentou por tudo ajudar uma jovem estudante, de 22 anos, que lhe dizia estar padecendo de câncer, e já em uma fase terminal. Comovida com a história, Sally Retallack, de 49 anos, acabou saindo muito prejudicada. Ela diz ter perdido o marido, a carreira e o trabalho só para ajudar a menina, que estava mentindo, mas não ficará sem punição.

A #Justiça inglesa anunciou que Elisa Bianco ficará na cadeia nos próximos dois anos e oito meses.

Como ela enganou a professora 

Quando Sally conheceu Elisa, a garota tinha apenas 16 anos e era uma estudante como qualquer outra, frequentando um cursinho que Sally estava lecionando, na Cornualha, Inglaterra.

Publicidade
Publicidade

Mas, se no primeiro ano a professora não notou nada de estranho no comportamento da menina, no segundo, os problemas começaram. 

Sally se tornou tutora da turma de Elisa e notou que a menina estava começando a se isolar dos outros colegas. Começou falando mais com ela, tentando ajudar. E foi aí que começou o rol das mentiras. A garota contou que seus pais eram alcoólicos e que por vezes batiam nela. Mais tarde, o juiz provou que isso também era mentira. 

Depois, inventou estar com um câncer terminal e foi aí que ela comoveu a professora. Ela até inventou cartas de médicos e emails, para que Sally lhe desse dinheiro. 

O caso foi ganhando proporções tão grandes, que comovida e enternecida com a situação "dramática" de sua aluna, Sally deixou ela ir viver em sua casa. E, com isso, começaram as brigas com o marido, que acabaria por sair de casa.

Publicidade

A professora chegou mesmo a ajudar Elisa com as despesas da faculdade, adiantando 750 libras para ela (quase 4500 reais), para que pudesse pagar renda e despesas básicas. 

Mas demorou pouco e três semanas após ela já estava de volta a casa da professora Sally, dizendo que tinha sangue na urina e suas artérias estavam colapsando. Em uma fase, a professora levava ela todos os dias para o hospital: largava ela na porta, de pijama, e só a pegava no fim do dia, após fazer os supostos tratamentos. Só alguns meses mais tarde, é que ela ficou desconfiada e entrou no hospital, onde ficou sabendo toda a verdade. 

Julgamento a "caso estranho"

 O juiz Christopher Harvey Clark condenou Elisa Bianco a uma pena de cadeia de dois anos e oito meses por ela ter "manipulado" a professora por todo esse tempo, um caso que ele considerou de "estranho" e "muito preocupante". 

Citado pelo jornal Daily Mail, o juiz disse que Elisa "manipulou impiedosamente as emoções" de Sally Retallack e que sentença nenhuma "irá compensá-la". "Eu posso dizer sinceramente que é o caso mais extraordinário que tive de lidar em um longo tempo", declarou Christopher Harvey Clark, em tribunal.  #Europa #Casos de polícia