O governo de Pequim, #China, acusou os Estados Unidos na semana passada de adotar postura provocativa nas relações entre os dois países, logo após um bombardeiro norte-americano B-52, também chamado de “fortaleza voadora”, sobrevoar uma determinada área do Mar do Sul da China, justamente onde os chineses estão construindo um arquipélago artificial.  Através de um comunicado veiculado em 19/12, o Ministério de Defesa da China determina que os #EUA façam respeitar a soberania da China sobre aquela área do oceano. 

O que vem acontecendo na realidade é que os chineses estão empenhados na mudança dos recifes do arquipélago de nome Spratly para ilhas artificiais, implantando e construindo na área campos de aviação e infra-estruturas anexas.

Publicidade
Publicidade

O problema é que a região oceânica em si com os rochedos e recifes de coral é reivindicada também por Taiwan, Filipinas e Vietnã e os EUA, principalmente, usam o argumento para tentar impedir o avanço do território e influência chineses. 

Os especialistas internacionais e militares ocidentais afirmam que Pequim acaba criando assim um verdadeiro conflito na região, que para piorar a situação pode não ficar somente nas palavras, mas adotar práticas militares, o que é prejudicial a todos em um momento em que o mundo passa por um clima de tensão e instabilidade. O que está em questão, dizem eles, é que o território que vem sendo “construído”, legalmente não pertence aos chineses e além disso, acabará provocando um impacto ambiental naquela parte do globo. 

Em outubro deste ano, um barco militar da marinha dos Estados Unidos penetrou em um perímetro de 12 milhas náuticas ao redor das ilhas desse arquipélago artificial, o que acabou causando um protesto contundente e vigoroso por parte dos mandatários chineses em Pequim.

Publicidade

Enfim, mais atualmente há muitos registros nas águas do Mar do Sul da China de incidentes e rusgas entre alguns países asiáticos, como o exemplo de uma embarcação também militar chinesa com um barco de pesca do Vietnã. Tudo isto porque o local está situado em uma das mais importantes rotas comerciais do mundo e que também é rica em recursos naturais. Será que a sociedade mundial está prestes a assistir mais uma guerra nociva no planeta? #Natureza