Desde que eclodiu a guerra na Líbia, o território é praticamente dominado por dois temidos grupos terroristas: Al-Qaeda e Estado Islâmico. A Síria e Iraque também possuem grupos das duas facções espalhadas pelo território. Embora ambos os grupos tenham por objetivo levar a Shari´a ao mundo, estão longe de se tornarem parceiros no terror.

O Estado Islâmico, que apesar de ter menor expressão que a Al-Qaeda no Oriente Médio, é o grupo terrorista que mais cresceu nos últimos anos, possuindo milhares de combatentes estrangeiros que abandonam casa e família para lutar em uma guerra sem fim em nome de alah e a lei islâmica.

Os dois grupos possuem vários 'seguidores' que montam subgrupos com os mesmos ou semelhantes objetivos.

Publicidade
Publicidade

Essa semana os  Mártires de Yormouk, que se trata de um grupo afiliado ao EI, divulgaram imagens de supostos membros da Frente al Nusra, que é um grupo parceiro da Al-Qaeda, sendo presos e 'explodidos' pelos terroristas. O que incentiva a matança de rivais é que a Frente al Nusra luta contra o #Estado Islâmico, além de bater de frente com o ditador sírio Bashar al Assad.

Apesar da rivalidade, os dois querem instituir o califado em todos os países do mundo e utilizam-se de táticas de crueldade para punir todos que são considerados 'inimigos'.

Os Mártires de Yormouk amarraram três membros da Frente al Nusra com explosivos em volta do corpo. Em seguida, os homens são cobertos por um liquido, que acredita-se ser gasolina ou outro liquido inflamável. Feito isso, os explosivos são acionados e um vídeo mostra partes dos corpos dos homens pegando fogo após a explosão.

Publicidade

Além da rivalidade que impera entre os dois 'concorrentes' no quesito crueldade e terror, a possível causa das execuções pode ter sido um ataque que a base dos filiados ao EI sofreram no mês passado, quando um homem bomba explodiu no local.

Perigo mundial

Já fazem pelo menos três anos que ambos os grupos têm divulgado vídeos na internet em que declaram que vão levar a Shari´a ao mundo e para começar seu 'reinado' vão começar reconquistando alguns territórios europeus que há muito tempo atrás pertenceu aos muçulmanos. Os primeiros alvos são Paris, Portugal, Espanha e Roma. #Terrorismo #Violência