Dois jornais portugueses, o “Jornal de Notícias” e o “Correio da Manhã” informaram que as autoridades portuguesas estão procurando três terroristas do #Estado Islâmico em território português. Segundo as publicações, os três terroristas teriam participado diretamente nos atentados em Paris, sendo que um deles é o "cabeça" do massacre na capital francesa que matou mais de 130 pessoas. Apesar das informações ainda serem escassas, as autoridades portuguesas foram informadas pela Interpol e a polícia espanhola que teriam detectado a presença dos terroristas entrando em Portugal.

Depois de terem sido alegadamente vistos na Suíça há poucos dias, a mídia internacional garante agora que três terroristas do Estado Islâmico, que estão em fuga há mais de um mês, estão em Portugal ou, pelo menos, teriam entrado durante algum tempo em território português.

Publicidade
Publicidade

As autoridades portuguesas já estão em alerta e procuram agora intensivamente pelos terroristas.

Segundo informa o “Correio da Manhã”, que cita o “Jornal de Notícias”, as informações são de última hora e foram realizadas pela Interpol, que tem tentado seguir diariamente os possíveis percursos dos três terroristas do Estado Islâmico, considerados altamente perigosos e que podem estar fortemente armados. Para chegar até Portugal, os três extremistas podem ter tido ajuda de vários jihadistas de vários pontos da #Europa, tal como já teria acontecido poucos dias depois dos atentados de Paris, quado alegadamente o “cérebro” dos atentados de Paris foi visto na Espanha.

Apesar de ser um país pequeno, Portugal sempre interessou ao Estado Islâmico que, em vários artigos de suas revistas, confessavam que a posição geográfica do país sempre foi um motivo de interesse para o maior grupo terrorista.

Publicidade

Além disso, a passagem dos muçulmanos em uma determinada parte da história portuguesa sempre foi motivo de interesse para o Estado Islâmico, que já revelou várias vezes que até 2020 pretende dominar grande parte do território europeu, “eliminando o cristianismo na Europa”, assim como está escrito em vários artigos extremistas. #Terrorismo