Em uma boa ação, depois de ter atropelado acidentalmente um animal, semelhante a um veado, um emigrante português de 58 anos, que vive em Luxemburgo, foi também atropelado por outro carro em sentido contrário, morrendo imediatamente no local.

Segundo informa o jornal “Correio da Manhã”, o acidente fatal aconteceu no domingo, dia 6 de novembro, junto a um bosque na localidade de Wiltz, conhecida por ter muitos #Animais selvagens. De noite, o condutor não teria visto o pequeno veado atravessando a estrada, atropelando ele e ficando o emigrante também em posição muito perigosa.

Em um país que tem uma larga comunidade brasileira emigrante, os casos de acidentes fatais ou então de homicídios são poucos normais em Luxemburgo, um dos menores países do mundo.

Publicidade
Publicidade

Porém, em um incidente dramático, completamente acidental, um emigrante português perdeu repentinamente a sua vida.

Tal como garante o jornal “Correio da Manhã”, o condutor que vinha de sentido contrário, já perto das 2 da madrugada, também não viu a presença do homem no meio da estrada, enquanto estava tentando salvar o animal em sofrimento, atropelando ele a alta velocidade, de tal forma que o português morreu nesse exato momento do choque.

Confuso com o que tinha acontecido, segundo informa a imprensa internacional, o condutor que acabou por matar o emigrante ficou em completo estado de choque, não sabendo ainda ao certo se o animal conseguiu sobreviver aos dois acidentes.

Mesmo com a chegada dos policiais e da emergência médica ao local, nada podia ser feito para salvar o homem, que fez questão de colocar sua vida em risco, somente para ajudar o pequeno veado que estaria em sofrimento no meio da estrada, correndo o risco de ser novamente atropelado por outros carros que passassem.

Publicidade

Para que tal não acontecesse, o homem de 58 anos saiu do seu carro com as melhores intenções, mas o pior acabou acontecendo. Apesar dessa morte, a taxa de mortes na estrada e de criminalidade em Luxemburgo é bastante baixa, se colocando entre uma das menores da #Europa. #Casos de polícia