Pesquisas recentes mostram que o medo do cidadão americano em relação ao terrorismo atingiu o nível mais alto desde os atentados que atingiram as torres gêmeas em Nova York em 11 de setembro de 2001.

O conceituado jornal " The New York Times " e a rede de televisão CBS News realizaram pesquisas que demonstraram o verdadeiro pavor que o cidadão americano está sentindo atualmente em relação ao terrorismo traduzidos nos números levantados.

Há menos de um mês, o percentual da população americana que achava que o terrorismo era o principal problema dos Estados Unidos era de apenas 4%. De acordo com a pesquisa, esse número subiu para 19% da população, demonstrando claramente o medo do cidadão comum.

Publicidade
Publicidade

Os ataques recentes em Paris, e principalmente o #Ataque em San Bernardino, na Califórnia, quando uma casal abriu fogo contra os pacientes de uma clínica médica, reascenderam o alerta na população. 

Na onda do que foi classificado como o maior ataque terrorista em território americano desde o ataque às torres em 2001, o pré-candidato à presidência, Donald Tramp, usou o pretexto dos ataques em San Bernardino para propor a proibição da entrada de muçulmanos no país.

A declaração causou polêmica, principalmente na população muçulmana que já vive no país, mas 40% dos eleitores das prévias do partido republicano veem como positiva a forte liderança que exerce o candidato e colocam essa "qualidade" como mais importante do que a empatia, a honestidade e a experiência.

Preocupados em manter a população bem informada, Jeh Charles Johnson, Secretário da Segurança Doméstica dos Estados Unidos, anunciou no início do mês que o governo lançará um novo sistema de alerta de terrorismo para a população.

Publicidade

Apesar de não ainda não revelar mais detalhes sobre o novo sistema, Johnson afirmou que o atual sistema só funciona com ameaças detalhadas e que o método novo terá uma "classificação média" para refletir melhor os acontecimentos, já que os atuais ataques são realizados individualmente por pequenas células infiltradas no país, dificultando muito a prevenção. #Estado Islâmico #Guerra Civil