Um homem português, de 54 anos, foi encontrado ardendo em chamas, na rua, na madrugada de terça-feira, dia 29 de dezembro. A polícia está investigando o caso, para tentar encontrar uma explicação para esta situação tão misteriosa. O homem acabou morrendo, em circunstâncias dramáticas, e tudo aconteceu em uma estância turística de Interlaken Matten, no cantão de Berna, na Suíça. 

A polícia suíça foi chamada para uma emergência quando seriam 3h30 da madrugada de terça-feira. Quem deu o alerta, avisou para a presença de um homem ardendo no meio da rua. Os policiais foram rápidos e quando chegaram no local, a rua principal dessa localidade em Berna, o homem estava caído no chão, mas ainda ardendo.

Publicidade
Publicidade

Os policiais apagaram as chamas mas já não conseguiram salvar a vida do homem, como se pode ler no comunicado que o ministério público da região de Oberland publicou. 

Além dos policiais, estiveram ainda no local os bombeiros sapadores de Bödeli e ambulâncias de pronto socorro de Berna. Apesar de todos os esforços registrados, as equipes de salvamento envolvidas já não chegaram a tempo para salvar o homem, que a polícia já identificou como sendo um cidadão de nacionalidade portuguesa, com 54 anos, que estava residindo no cantão de Berna. 

Mistério ainda por resolver

De acordo com o jornal suíço The Local, o homem viveria na Suíça juntamente com a esposa e o filho. Para já, ainda não há certezas sobre o que verdadeiramente aconteceu naquela noite, mas a polícia está descartando a hipótese de homicídio.

Publicidade

"A intervenção de uma terceira pessoa pode estar excluída", revelou a polícia em comunicado. 

O homem poderia então ter-se imolado, pegando fogo nele mesmo, mas para já, tudo isso está sendo encarado apenas como uma suspeita. A polícia ainda não fez qualquer declaração oficial e está prosseguindo com as investigações, procurando por testemunhas que possam ajudar a chegar brevemente a uma conclusão para essa morte misteriosa

Um jornal suíço adianta o testemunho de um vizinho que contou os gritos que escutou pouco antes da chegada da polícia, mas sem acrescentar informações mais relevantes. #Casos de polícia