Samantha Leialoha Watanabe é a mãe da criança de quinze meses que foi agredida durante um voo entre Anchorage, no Alasca, e Honolulu, no Havaí, que ocorreu no dia 3 de maio. Watanabe vai a julgamento na próxima terça-feira, dia 8 de dezembro, no Havaí. A mãe encontra-se presa por maltratar a sua filha. Samantha Watanabe foi acusada de agredir tanto fisicamente como também verbalmente a sua filha de quinze meses, durante um voo nos Estados Unidos. Foram os passageiros que seguiam no mesmo voo confirmaram esta situação. Contudo, Samantha continua a afirmar que está inocente do que está a ser acusada, negando as agressões à filha.

Os maus tratos infantis continuam a ser um problema bastante preocupante em todo o mundo, uma vez que cada vez se têm verificado mais casos.

Publicidade
Publicidade

É fundamental a prevenção da ocorrência destes casos em crianças ou famílias de risco. De acordo com o site da Globo, Samantha não tem casa própria e vive num abrigo, na cidade de Waianae. A sua situação precária levou seu defensor público a pedir um adiamento do horário do julgamento (inicialmente marcado para as 8h30), pois Samantha necessita de viajar 4h30 para chegar à capital da ilha, onde se realizará o julgamento.

Foram escolhidos esta quarta-feira, dia 2 de dezembro, os juízes que irão estar no julgamento de Samantha Leialoha Watanabe. Segundo as testemunhas, a mãe terá xingado, beliscado, arrancado vários pedaços de cabelo e também batido na parte de trás da cabeça da criança de quinze meses. De acordo com uma queixa criminal apresentada pelo FBI, Samantha Watanabe terá ainda colocado um maço de dinheiro nas fraldas da criança.

Publicidade

Segundo um dos testemunhos, todas as vezes que a criança tentava tocar na cara da sua mãe, esta batia de volta, tanto nas mãos como também nos braços da criança, de uma forma bastante violenta tendo captado desta forma a atenção dos passageiros que seguiam neste voo. Outra testemunha afirmou que quando a criança começava a chorar, Samantha Watanabe começava a beliscar a filha de forma violenta e a arrancar cabelos da criança. Alguns comissários de bordo da companhia aérea Alaska Airlines e um membro da Tropa Estadual do Alasca terão que se apresentar no julgamento, como testemunhas do #Crime#Violência