A missão "InSight" foi suspensa, de acordo com a própria Nasa que lamentou não poder realizar o lançamento para Marte, previsto para março de 2016. A agência espacial americana informou que o problema é no sismômetro e não há como dar continuidade na missão por enquanto.

A Nasa criou o módulo de aterrissagem para explorar o subsolo de Marte na tentativa de encontrar evidências que mostrem como os planetas rochosos foram sendo formados em nosso Sistema Solar.

O lançamento agora só poderá acontecer quando houver uma nova "janela" favorável e isto só vai acontecer daqui a dois anos.

O sismômetro que apresentou problema foi fornecido pelo CNES - Centro Nacional de Estudos Espaciais da França - e o objetivo deste equipamento era medir movimentos na terra de uma intensidade muito pequena, quase que do diâmetro de um átomo.

Publicidade
Publicidade

Nos próximos 6 meses a Nasa irá realizar novos estudos para saber quais serão os próximos passos a serem tomados. A única certeza até o momento é que a agência espacial está totalmente empenhada em realizar novas descobertas científicas no planeta vermelho e o quanto antes.

John Grunsfeld, administrador das missões científicas assegurou que a Nasa tem como prioridade entre todas as suas missões atuais levar equipamentos modernos até Marte para realizar estudos mais aprofundados sobre o planeta.

NOVO LANÇAMENTO RUMO A MARTE AINDA NÃO TEM DATA DEFINIDA

Um novo lançamento só poderia acontecer em 2018 devido às órbitas da Terra e também do planeta vermelho.

Ainda não há uma data definida, mas o importante agora é corrigir o problema detectado, testar novamente todos os aparelhos e deixar tudo pronto para que daqui há 2 anos o lançamento possa acontecer sem problemas e sem mais atrasos.

Publicidade

A correção do problema encontrado no sismômetro demanda tempo e ultrapassaria a data de limite para o envio da missão. O próprio Grunsfeld reconheceu que a agência ficou sem tempo para conseguir cumprir o cronograma previsto.

Os testes realizados com a nave em um ambiente com temperatura a menos de 45 graus centígrados detectou vários vazamentos. A resolução do problema é complexa, demanda tempo e depois de concluído é preciso fazer novos testes, por isto não há como realizar o lançamento no primeiro trimestre de 2016. #Curiosidades #EUA