Talvez poucos brasileiros imaginaram que um dia poderiam admirar tanto um argentino. A rivalidade entre os dois países acabou, quando a fumaça branca saiu de uma chaminé no Vaticano. Era anunciado o novo Papa. O novo líder da Igreja Católica escolheu o nome de Francisco e tinha como grande missão fazer o que seu antecessor, Bento XVI, que renunciou ao cargo, não conseguir, aproximar-se dos jovens e modernizar a igreja. Amado por muitos, criticado por outros, a vossa santidade tem conseguido essa proeza.

Nesta terça-feira, 15, mais um passo importante foi dado. Francisco virou o primeiro Papa a registrar um selfie. As fotos que viraram febre em todo mundo.

Publicidade
Publicidade

Na verdade, o registro do líder católico foi um quase selfie, mas assim como as imagens feitas por nós meros mortais, acabou sendo compartilhada em uma rede social, o Instagram oficial do Vaticano. A foto está virando uma febre e já tem dezenas de milhares de curtidas.

Não poderia ser diferente. O momento do "selfie" de Francisco foi feito quando ele conversava com seu seguidores através de um chat na internet. A equipe do Vaticano fez a captura da tela em um momento descontraído do pontífice. O largo sorriso, assim como previa o setor de comunicação da igreja, está cativando os internautas. A ação é vista como importante e deve significar a maior mudança da Igreja nos últimos 100 anos. O Papa também lançou neste ano um CD com momentos de suas pregações. 

Por conta da venda do álbum, a Igreja Católica brasileira enfim acabou com uma grande polêmica, que girava em torno dos ditos padres cantores.

Publicidade

Neste ano, um evento até reuniu os principais nomes desse nicho. 

Francisco prova que é preciso se aproximar e que não adianta muito fazer cara feia para a modernidade. Do discurso na praça pública ao chat online no Skype, o pontífice entende que o importante não está em como ele irá levar o seu discurso, mas o que estará nele. É buscando os likes dos católicos e também com a vontade de adquirir novos fiéis, especialmente aqueles que se dizem da #Religião, mas não a frequentam, que Francisco trabalha.