A Turquia já começou a sentir em sua economia as consequências causadas pela derrubada de um avião de guerra da Russo semana passada, o presidente russo Vladimir Putin advertiu durante o COP 21 nesta quinta-feira, horas antes dos ministros das Relações Exteriores dos países se reunirem em meio a tensões latentes.

"Se alguém pensou que depois de cometer um crime de guerra e o assassinato de um soldado nosso eles iriam ficar sem resposta, então eles estão grosseiramente equivocados”, disse Putin.

"Vamos lembrá-los muitas vezes sobre o que eles fizeram, e eles vão se arrepender do que eles fizeram por um longo tempo", disse ele.

Publicidade
Publicidade

"Sabemos o que precisa ser feito."

A fala dura de Putin foi o mais recente ataque na disputa que esta ocorrendo entre os países e seus presidentes, desde que a Turquia abateu um avião de guerra russo perto da fronteira com a Turquia e Síria em 24 de novembro.

Ancara disse que o avião russo invadiu o espaço aéreo turco e recebeu o aviso amplo; Porém Moscou nega essas afirmações, dizendo que o avião foi abatido sobre a Síria.

Um dos pilotos do avião foi morto, enquanto outro foi resgatado.

As tensões entre os países tem se inflamado desde a derrubada, Putin descreveu o ato como "uma facada nas costas feita pelos cúmplices dos terroristas."

Enquanto isso, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan disse que estava "entristecido" com o incidente, mas se recusou a pedir desculpas insistindo que "aqueles que violaram nosso espaço aéreo são os únicos que precisam para se desculpar."

Em resposta, a Rússia contra-atacou com uma série de medidas econômicas contra a Turquia, incluindo a suspensão da construção de um gasoduto 1,2 bilhões de dólares destinado a transportar o gás russo para a Turquia e para outros países europeus.

Publicidade

O chanceler russo, Sergey Lavrov e o Ministro dos Negócios Estrangeiros turco Mevlut Cavusoglu se reuniram  brevemente nesta quinta-feira  em Belgrado Sérvia, segundo a agência  de notícias russa RIA Novosti.

“A Rússia também lançou acusações de que a Turquia está envolvida em um comércio de petróleo secreto com o grupo Islamico”,  que conquistou partes da Síria e do Iraque.

Na quarta-feira (2), as autoridades militares russas esboçaram o que eles disseram serem "provas concretas" do envolvimento turco no comércio petrolífero e alegou que o presidente Erdogan e sua família estão envolvidos no negócio.

Erdogan negou veementemente as acusações, dizendo em uma audiência na quarta-feira em uma Universidade de Catar que "ninguém tem o direito de caluniar a Turquia, especialmente difamando sobre a compra de petróleo da ISIS. A Turquia não perdeu os seus valores morais para comprar petróleo de uma organização terrorista.” disse Erdogan.

Vamos esperar os próximos episódios deste impasse diplomático entre Rússia e Turquia. #Finança #Estado Islâmico