Em pronunciamento realizado no último dia 14, Barack Obama afirmou que deseja muito visitar Cuba em 2016, último ano do seu mandato como presidente dos Estados Unidos da América. No entanto, Obama garantiu que só desembarca em Havana (capital cubana), se puder se encontrar com opositores do #Governo de Raúl Castro, sem nenhum tipo de retaliação do mesmo.

A ação seria uma prova de Cuba, segundo o atual líder da Casa Branca, de que a ilha está mesmo aberta a uma nova era de democracia e liberdade de expressão. No último dia 17 de dezembro, se completou exatos um ano do histórico anúncio de retomada das relações diplomáticas entre estadunidenses e cubanos, após 53 anos de rompimento político e econômico.

Publicidade
Publicidade

De acordo com Barack Obama, em entrevista ao site norte-americano de notícias, ‘Yahoo News’, ele próprio teria conversado diretamente por telefone com o líder cubano Raúl Castro para tratar da retomada da livre expressão em Cuba, o que não fazia sentido ir a Havana e não dialogar com quem pensa diferente do atual presidente da ilha.

Até o momento, o governo cubano não manifestou nenhuma resistência à condição de Obama, o que indica que o estadunidense deve mesmo desembarcar em Havana no ano que vem. #Viagem #EUA