Franceses, apoiantes da extrema-direita, que está ganhando muito terreno nessas últimas semanas, sobretudo, por causa dos atentados em Paris, vandalizaram uma associação portuguesa, escrevendo palavras de ódio e de xenofobia.

Segundo informa o jornal “I”, na idade de Brie-Comte-Robert, na França, frases e mensagens de morte escritas nas paredes de um clube luso estão atormentando os emigrantes portugueses, que temem que as visões de Le Pen, líder do partido de extrema-direita francesa, possam levar a que os franceses sejam alimentados com preconceito contra os estrangeiros. A Associação vai apresentar queixa às autoridades francesas.

Publicidade
Publicidade

Em um país onde estão milhares de brasileiros, lutando por uma vida digna diariamente, os atentados de Paris parecem ter feito com que as ideias mais liberais e igualitárias dos franceses se modificassem para visões, cada vez mais, preconceituosas, contra todos os estrangeiros que estão trabalhando em seu país ou contra a chegada dos refugiados.

Em um incidente que já não acontecia há muito tempo, uma associação portuguesa em território francês “acordou” com seu espaço completamente vandalizado. “Vão para vossa terra”, “morte aos portugueses” e “Le Pen”, foram algumas das frases e palavras de xenofobia e ódio dos criminosos responsáveis por essa invasão.

Rapidamente, as fotografias das paredes se tornaram virais nas redes sociais e o medo entre os portugueses, mas também brasileiros, que estão na França, foi o sentimento mais comum entre as muitas mensagens sobre o incidente, como afirma o jornal “I”.

Publicidade

Na verdade, Le Pen pode se tornar a primeira primeira-ministra da França de um partido de extrema-direita, algo que está preocupando muito todo o mundo, desde políticos, pensadores e, claro, os que seriam mais prejudicados, os emigrantes e estrangeiros.

Em uma fase crítica para os pilares da União Europeia, por causa da #Crise de refugiados e das ameaças do Estado Islâmico, os altos responsáveis pelos países membros têm hoje um grande desafio pela frente e, provavelmente, o momento mais crítico e complicado que a União Europeia já sentiu desde o momento de sua criação. #Europa #Crise migratória