José Mourinho está novamente envolvido em polêmicas. Dessa vez, como informa o canal “Sky Sports”, o técnico do Chelsea vai responder no próximo dia 6 de janeiro contra a acusação de Eva Mendes, antiga médica do staff do time londrino. O incidente aconteceu em agosto, quando a fisioterapeuta entrou no gramado sem autorização de José Mourinho, que fez com que a funcionária fosse mais tarde proibida de voltar a entrar nas instalações do Chelsea. Rapidamente, Eva Mendes avançou com o processo contra o português, acusando ele de discriminação sexual.

Se em sua profissão José Mourinho está na pior fase da sua carreira, fora dos gramados a vida do português também não está correndo melhor.

Publicidade
Publicidade

Depois de ter sido acusado de agredir um adolescente no meio da rua, agora o técnico vai ter que justificar o despedimento da sua antiga médica do Chelsea, provando que tomou essa decisão sem qualquer tipo de discriminação sexual.

Eva Carneiro pretende uma indenização por “danos morais” e também pretende voltar para o Chelsea, chefiando novamente todo o departamento médico do time. No próximo dia 6 de janeiro, José Mourinho vai ter que fazer uma pausa na sua profissão para se deslocar ao tribunal de Londres, para tentar defender seu bom nome, como garante o canal “Sky Sports”. Mesmo conseguindo provar sua inocência, essa caso apenas vai somando no número de contrariedades que Mourinho tem vivido nesses últimos tempos.

Conhecido por ter uma personalidade muito explosiva, José Mourinho não está conseguindo dar a volta na situação profissional que está vivendo no Chelsea.

Publicidade

Nas redes sociais, cada vez mais são os pedidos para o técnico português abandonar o time de Londres, que nunca sentiu tantas dificuldades em Inglaterra como agora. Quanto a Eva Mendes, conhecida por ser a médica mais sexy da Premier League, pode, caso ganhe, voltar a entrar no Chelsea, para a alegria de tantos torcedores de todo o mundo, que até já criaram páginas em honra à médica, que já teria tido um caso com John Terry, algo proibido nas regras da sua profissão. #Justiça #Casos de polícia