Segundo informa o jornal suíço “Le Matin”, inclusive com várias provas documentais, várias companhias suíças, nos últimos tempos, compraram petróleo ilegal ao #Estado Islâmico. A publicação suíça garante que, por ser um preço mais baixo do que se está praticando no mercado, várias empresas não se importam de arriscar comprar um produto ilegal, para depois venderem para o mercado internacional. As grandes empresas petrolíferas importaram seu petróleo na Turquia, mais concretamente na cidade de Ceyhan, um dos locais do país onde o petróleo está sendo extraído pelo Estado Islâmico que depois vende às empresas.

A investigação realizada pelo jornal “Le Matin” garante que muitas empresas suíças compraram, ainda recentemente, petróleo desse local, que é uma porta de entrada para o Mar Mediterrâneo, ficando assim mais fácil o negócio para outras partes do planeta.

Publicidade
Publicidade

Com essa revelação, vários comerciantes petrolíferos estão passando mal e as consequências prometem ser severas e exemplares.

A compra de petróleo ao Estado Islâmico sempre foi altamente ilegal e, depois dos atentados em Paris, a segurança em volta aos negócios que envolvem o maior grupo terrorista do mundo estão sendo mais investigadas que nunca. Em uma altura em que a coligação internacional está tentando a todo o custo neutralizar as ações do Estado Islâmico, a maior ameaça para o Ocidente atualmente, começando por tentar cortar o máximo de fontes de rendimento do grupo terrorista.

No momento em que a coligação está intensificando seus bombardeios em território sírio, que tem vindo a matar terroristas, mas também muitos inocentes, o Estado Islâmico, nos últimos anos, tem visto seus rendimentos através das suas bases petrolíferas como essenciais para a sua continuidade.

Publicidade

Recentemente, a Rússia informou que tem vindo a atingir alguns desses locais petrolíferos, para reduzir ao máximos os lucros terroristas, contudo nada ainda foi confirmado e as notícias que mesmo países europeus estão contribuindo para a continuidade do Estado Islâmico, ainda que indiretamente, está preocupando todos os europeus, que se manifestavam em massa nas redes sociais. #Terrorismo #Europa