Na quarta-feira, 02/12, o parlamento do Reino Unido aprovou nova proposta de bombardeio contra o #Estado Islâmico. O texto foi apresentado pelo primeiro-ministro, David Cameron, e estende as ações militares britânicas contra o EI. Foram 397 votos a favor e 223 contras. Com a aprovação, o Reino Unido também vai se juntar à coalizão ocidental para ataques aéreos na Síria, sendo que já realiza bombardeios periódicos no Iraque. O alvo britânico da vez é Raqqa, cidade considerada momentaneamente a capital do EI.

O líder da oposição, Jeremy Corbin, do Partido Trabalhista, contestou a decisão e disse que o envolvimento da força aérea britânica nas operações de bombardeamento vai atingir a população civil daquele país.

Publicidade
Publicidade

"Estender os ataques aéreos, provavelmente não vai fazer nenhuma diferença", analisou Corbin, que colocou em xeque a legalidade da ação.

Autoridades

Cameron foi enfático na defesa de sua proposta e contrariou as colocações do líder trabalhista. "Nós devemos atender ao chamado de nossos aliados. A ação que estamos propondo é legal, necessária e é o que deve ser feito pela segurança de nosso país", insistiu. De acordo com ele, a contribuição militar do Reino Unido deve fazer uma real diferença na guerra.

Para o primeiro-ministro, a solução para questão na Síria é implementar um governo que represente toda a população e que trabalhe com os aliados para derrotar o Estado Islâmico. "O assunto que se apresenta hoje na Câmara é sobre como manteremos o povo britânico seguro diante da ameaça que o EI representa.

Publicidade

Não se trata de 'se queremos lutar contra o #Terrorismo', mas de como vamos fazer essa luta". Cameron também lembrou que no último ano as forças de segurança se anteciparam e frustraram sete atentados contra o Reino Unido.

Por sua vez, o presidente dos EUA, Barack Obama, fez questão de se manifestar sobre o resultado da votação e agradecer as autoridades britânicas pelo esforço contra Estado Islâmico. "Desde o começo da campanha anti-EI, o Reino Unido tem sido um dos parceiros mais preciosos", declarou.

Velozes e furiosos

Após a aprovação dos bombardeios na Câmara dos Comuns, dois aviões britânicos decolaram de uma base aérea no Chipre em direção a Síria. O objetivo é agir o mais rápido possível com as intervenções e alvos pré-definidos. #Ataque