Para o jornalista francês, Nicolas Henin, que esteve preso pelo #Estado Islâmico durante 10 meses, a solução para derrotar os jihadistas é conseguir colocar contra os terroristas, justamente os locais onde eles têm mais influências. Em entrevista ao jornal “The Syria Campaign”, o jornalista considera que a #Europa não pode fechar a mente e precisa pensar de uma forma menos violenta e mais estratégica.

Depois de conviver tanto tempo com os terroristas, Nicolas Henin considera que os ataques aéreos são uma armadilha para os ingleses, que anunciaram que vão se juntar à Rússia, Estados Unidos e França nos bombardeios.

“Quem vai vencer essa guerra não vai ser quem tiver o melhor armamento, ou o mais caro, mas sim, quem conseguir conquistar os locais para seu lado.

Publicidade
Publicidade

Se as pessoas na Síria tiverem esperança política, o Estado Islâmico vai se desmoronar”, explica o jornalista francês ao canal sírio, garantindo que os ataques aéreos não vão nunca conseguir derrotar o Estado Islâmico.

Na verdade, Nicolas Henin garante que o acolhimento dos refugiados por parte dos países europeus pode ser decisivo para a derrota do Estado Islâmico, por eles considerarem um insulto tantos muçulmanos se mudarem para a Europa, vista pelos extremistas como 'a terra dos infiéis'. Com a ida de tanta gente para a Europa, a capacidade de recrutamento do grupo terrorista tem diminuído e cada vez menos gente está ficando do seu lado, por se sentirem inseguros.

Finalmente, o jornalista francês informa que o objetivo do Estado Islâmico com os atentados em Paris sempre foi fechar a mente dos europeus, começando por fechar suas fronteiras, algo que representaria uma enorme vantagem para o Estado Islâmico, que conseguia, assim, que os refugiados parassem de entrar em território europeu.

Publicidade

Somente conseguindo retirar a possibilidade de recrutamento local por parte dos terroristas, é que, segundo o jornalista francês Nicola Henin, será possível derrotar a maior ameaça terrorista ao Ocidente da atualidade, o Estado Islâmico. #Terrorismo