Os jihadistas do grupo terroristas #Estado Islâmico divulgaram um novo vídeo em que mostram tanques de guerra avançando contra o Coliseu de Roma, na Itália. Em menos de um mês, essa é a segunda vez que os extremistas ameaçam hastear sua bandeira negra na capital italiana.

Ainda no vídeo, os terroristas destacam três lugares: a Praça Navona, onde fica a embaixada brasileira; o Altar da Pátria e a Praça de São Pedro, já no Vaticano. O Estado Islâmico se refere á Roma como o local onde ocorrerá a "última batalha antes do juízo final".

O vídeo possui quase quinze minutos. Veja um resumo do mesmo exibido em um emissora de TV italiana:

Nos últimos anos, vários vídeos de líderes do EI foram divulgados na internet, onde declaram que dominarão Paris, Roma, Espanha, Portugal e Reino Unido.

Publicidade
Publicidade

Também ameaçam ataques contra os Estados Unidos e determinam que levarão a shari´a à todos os países do mundo até 2030. Na semana dos ataques que ceifaram a vida de 130 pessoas em Paris, os terroristas divulgaram um outro vídeo ameaçando a Rússia.

Guerra declarada

O Estado Islâmico já declarou guerra contra todos os infiéis, que para eles são todas as pessoas que não seguem a lei islâmica, inclusive muçulmanos que não concordam com o califado e as atrocidades cometidas pelo grupo. Milhares de pessoas já foram mortas pelos extremistas e o grupo só tem crescido, ganhando membros de diferentes países do mundo.

Através da internet e de revistas, o EI tem "recrutado" novos combatentes em vários países. O grupo já anunciou que possuem uma nova base na Índia. Dentre seus membros há franceses, portugueses, alemães, turcos, americanos, ingleses, dentre outros.

Publicidade

Recentemente um combatente que era filho de uma brasileira foi morto durante os confrontos.

Crueldade

Além de outorgar que todos devem seguir a shari´a sob pena de morte, o grupo mata ou "assusta" as vitimas com requintes de crueldade. Mais de uma vez os jihadistas mataram cristãos crucificados em praça pública, deixando seus corpos pendurados por vários dias. Também tem o costume de decapitar, carbonizar ou matar as pessoas amarrando explosivos em seus corpos, incluindo crianças.

Há algumas semanas o Estado Islâmico divulgou um vídeo em que executa cerca de duzentas crianças na Síria. Não foi informado o motivo do massacre, se as crianças eram filhos de "infiéis" ou serviam apenas de "lição" para o restante do mundo. #Terrorismo