Na tarde desta quarta-feira, 02, a cidade de San Bernardino, na Califórnia, Estados Unidos, foi vítima de um ataque de homens armados. De acordo com informações da CNN, dois homens teriam chegado em um furgão até uma clínica. A Globo News, canal a cabo brasileiro, fala em três suspeitos.

O centro médico, chamado de 'Inland Regional Center', é voltado para os cuidados com as pessoas com deficiência e também com problemas de desenvolvimento. Até o fechamento desta reportagem (18h30 no horário de Brasília), as informações das agências de notícias internacionais divergiam, mas a CNN chegou a cogitar que o caso pode ser um atentado terrorista.

Publicidade
Publicidade

Mortos e feridos

O site da instituição invadida pelos homens armados foi retirado do ar. Pacientes chegaram a ser feitos reféns, em especial, no momento em que os atiradores trocavam tiros com os profissionais da segurança americanos. Até o momento, se fala em 12 mortos e de 20 a 25 feridos. Por volta das 18h12, a emissora norte-americana KABC mostrava pelo menos 50 pessoas sendo libertas.

A primeira notícia sobre o episódio foi recebida pela polícia através de um telefonema, que aconteceu às 17h. Os suspeitos estavam vestindo roupas oficiais do exército americano. Não há informações se eles foram presos ou mortos. 

Os hospitais da região dizem que receberam muitas vítimas com traumatismo por bala. A Swat e o esquadrão antibombas foram chamados. Existe a possibilidade de ter uma bomba no local.

Publicidade

Por volta das 18h25, pessoas eram atendidas por ambulâncias do corpo de bombeiros e um local improvisado perto da clínica. 

No mês passado, a França foi atingida pelo maior atentado terrorista do século XXI registrado em seus domínios. Mais de 100 pessoas foram mortas e 300 ficaram feridas. O atentado atingiu seis regiões da capital do país, Paris. A ofensiva foi confirmada pelo próprio Estado Islâmico como de sua autoria.

No início do ano, o mesmo grupo terrorista já havia invadido um jornal satírico (Charlie Hebdo) no mesmo país, matando jornalistas e demais profissionais de Comunicação.  #Terrorismo #Crime #EUA