Terroristas do #Estado Islâmico, segundo garantiu a Interpol e a polícia espanhola, estão em território português e rapidamente as autoridades portuguesas ficaram em alerta. Segundo informa a “Rádio Renascença”, Rui Pereira, presidente do Observatório de Segurança e #Terrorismo português, esclareceu que, de imediato, não há motivos para um grande alerta, pois muito provavelmente, se os três terroristas fugitivos estão em Portugal, isso significa apenas que estão planejando uma fuga e que Portugal é só uma paragem. Os extremistas do Estado Islâmico podem usar a costa portuguesa para conseguir sair da #Europa, possivelmente para o Norte de África.

Publicidade
Publicidade

Apesar de nada estar confirmado, a imprensa portuguesa garante que as autoridades não têm verdadeiramente a certeza da possível localização dos terroristas em Portugal, pois ontem, durante várias horas, as fronteiras de Portugal e Espanha foram altamente vigiadas, tendo sido detidas algumas pessoas suspeitas que, no entanto, não estão ligadas ao extremismo.

Segundo afirma a imprensa internacional, o carro que teria entrado em Portugal tem matrícula francesa e transporta três terroristas que seriam os responsáveis pelos atentados de Paris no mês passado. O “Jornal de Notícias” garante que a Interpol informou as autoridades portuguesas que os suspeitos estão altamente armados e que são um perigo iminente para a sociedade. Ainda assim, o Governo português, nessa manhã, informou que não há motivos para alarmismo e que, juntamente com outras organizações de segurança, Portugal está trabalhando para conseguir detectar a localização dos terroristas.

Publicidade

Além de ser um país pequeno com atualmente seus níveis de segurança reduzidos, em comparação aos restantes países europeus, o fato de Portugal estar relativamente próximo do norte de África, mais precisamente Marrocos, pode ter sido um fator decisivo para que os terroristas tenham optado por viajar de carro até Portugal. Como garante Rui Pereira, caso o Estado Islâmico esteja de passagem pelo país, isso apenas significaria que Portugal fazia parte de um plano de fuga e somente isso.